Confiança do consumidor dos EUA tem leve queda em janeiro

·1 min de leitura
Mulher carrega sacolas de compras da Nike em shopping

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - A confiança do consumidor norte-americano diminuiu ligeiramente em janeiro, com consumidores menos otimistas sobre as condições de negócios e do mercado de trabalho no curto prazo, mas ainda planejando comprar casas, automóveis e outros itens caros.

A pesquisa do Conference Board divulgada nesta terça-feira também mostrou moderação nas expectativas de inflação dos consumidores pelo segundo mês consecutivo, embora elas ainda tenham permanecido elevadas.

As avaliações sobre o mercado de trabalho suavizaram um pouco, provavelmente refletindo interrupções nos negócios causadas pela onda de inverno (nos EUA) da Covid-19, turbinada pela variante Ômicron.

"Embora a confiança do consumidor tenha caído neste mês, os consumidores geralmente têm fé na força dessa recuperação", disse Robert Frick, economista na Navy Federal Credit Union em Viena, Virgínia.

O Conference Board informou nesta terça-feira que seu índice de confiança do consumidor caiu para 113,8 neste mês, ante 115,2 em dezembro. Economistas consultados pela Reuters previam que o índice cairia para 111,8. Apesar da primeira queda em quatro meses, o índice está bem acima das mínimas da pandemia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos