Confiante na vitória de Lula, PT reserva Avenida Paulista para 'festa' no domingo

Decisão liminar do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) saiu nesta sexta-feira (30) e concedeu ao PT o direito ao uso da Avenida Paulista em caso de vitória de Lula. (Foto: Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)
Decisão liminar do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) saiu nesta sexta-feira (30) e concedeu ao PT o direito ao uso da Avenida Paulista em caso de vitória de Lula. (Foto: Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)
  • PT obtém permissão para reunir apoiadores na Avenida Paulista no próximo domingo (2);

  • Ato deve começar após às 20h30;

  • Decisão vale tanto para o caso de Lula ganhar no 1º turno quanto para a extensão a um 2º turno.

Antecipando bons resultados de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na corrida presidencial, o diretório estadual do PT de São Paulo obteve a permissão de usar a Avenida Paulista, a partir das 20h30, para reunir apoiadores no próximo domingo (2), data do primeiro turno das eleições.

A decisão liminar do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) saiu nesta sexta-feira (30) e é válida tanto para o caso de Lula vencer no primeiro turno quanto no cenário de extensão a um segundo turno. Entretanto, o petista só é esperado no local caso ele liquide o pleito já neste domingo.

A utilização da Avenida Paulista também estava sendo cobiçada pelos apoiadores de Jair Bolsonaro (PL), que só terão o direito de usá-la caso o atual presidente se reeleja no primeiro turno – cenário considerado improvável em vista das últimas pesquisas.

A decisão leva em consideração que o último ato na Paulista foi dos apoiadores de Bolsonaro, no dia 7 de Setembro. Por isso, dessa vez, quem obteve a permissão foi o PT. Isso porque, em 2020, a Justiça determinou a prática de um rodízio entre oposição e situação para o uso da Avenida, já que grupos politicamente antagônicos não podem se manifestar no mesmo local devido ao risco de conflito.

"Na esteira das decisões dadas neste processo, quem realmente pode ocupar a Avenida Paulista, mesmo à luz do rodízio determinado, são os movimentos e partidos de oposição, e não os de situação, pois, repita-se agora transcrevendo-se a manifestação do Ministério Público do Estado de São Paulo, "não se pode olvidar, conforme amplamente divulgado pela imprensa, que a última manifestação ocorrida na Avenida Paulista, no dia 07 de setembro deste ano, foi realizada por movimentos de situação, apoiadores do Presidente Jair Bolsonaro", escreveu o juiz Randolfo Ferraz de Campos. As informações são do portal O Globo.

Inicialmente, o pedido do PT era para que as manifestações começassem às 17h - horário de encerramento das seções eleitorais em São Paulo. Contudo, o juiz determinou a necessidade de esperar até às 20h30 para o início do ato, garantindo maior segurança e tranquilidade aos eleitores.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: