Confira detalhes do álbum novo do BTS, 'BE', e como cada membro atuou na produção

Louise Queiroga
·3 minuto de leitura

O álbum novo do BTS, "BE", com lançamento previsto para 2h desta sexta-feira, dia 20, diferencia-se dos anteriores por ter contado com a participação de cada membro em todas as fases de seu desenvolvimento. O septeto, que faria uma turnê mundial em 2020, passando pelos Estados Unidos e Canadá, além de países europeus e asiáticos, viu seus planos mudarem drasticamente pela pandemia. Diante das imposições do período atual, o grupo sul-coreano também adaptou sua forma de trabalhar.

A BigHit Entertainment, que administra o BTS, divulgou um comunicado à imprensa nesta quinta-feira, detalhando aspectos do disco. É dito que "BE" traz uma "reflexão sobre as emoções dos membros do grupo ao longo deste ano incomum", em que o grupo expressa "sentimentos contraditórios sobre essa situação — medo e ansiedade mesclados com a determinação de superá-la".

"O álbum contém as emoções e ruminações do grupo ao longo deste ano, e a história de 'nós' continuando a jornada existencial. Em cada projeto, o BTS canalizava suas vozes através da música enquanto participava ativamente do processo criativo, mas desta vez em particular, o grupo deu um passo adiante", acrescenta.

O disco contém oito faixas, incluindo "Dynamite", que estreou em agosto no topo da parada norte-americana Billboard Hot100, marcando uma conquista inédita para um ato musical sul-coreano.

Em "BE", o BTS se divide em duas subunidades para cantar as músicas "Fly To My Room", com os integrantes Suga, V, J-Hope e Jimin, e "Stay", com RM, Jin e Jungkook.

A gravadora informou ainda que "Blue & Grey" é uma "balada pop com sons de guitarra notáveis", já em "Telepathy" predomina um "ritmo funky", enquanto "Dis-ease" é uma canção "hip-hop old school".

A faixa "Skit", por sua vez, refere-se à conversa que os membros tiveram após alcançarem o primeiro lugar na Billboard Hot100.

Quanto à faixa-título, "Life goes on", a agência a descreveu como uma música de "hip-hop alternativo" com "sons sentimentais de violão".

"A letra oferece uma aura de conforto diante de uma interrupção repentina", detalhou.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, os membros falaram sobre o processo de produção do álbum e contaram como cada um participou desde a fase de planejamento, design, passando pela definição do conceito de fotos e vídeos, indo até a composição das letras e músicas.

O box do álbum contém um livro dos bastidores, um livro com as letras, cartões postais, fotos, incluindo a imagem de um quadro pintado por Suga, uma moldura de foto, uma polaroid e um pôster.

A fonte da capa, por exemplo, é correspondente à grafia do idol RM, que trabalhou como gerente de projeto por ter se encarregado do conceito até a fase de layout e aspectos visuais. Seu crédito no álbum aparece como "Album Design".

V, por sua vez, agiu como "Visual Creative", ou seja, ficou responsável pela apresentação visual do box e os materiais de seu conteúdo.

O integrante Jimin atuou como "A&R" (artista e repertório), tendo sido responsável pela comunicação entre o grupo e a empresa. Suas atribuições envolviam a supervisão das atividades criativas dos membros durante o desenvolvimento de "BE" e apresentar as ideias aos executivos da BigHit.

Já os idols Jin, Suga, J-Hope e Jungkook trabalharam em equipe na área de "Produção e Coordenação" do álbum. Além disso, Jungkook também chamou atenção pelo crédito de direção no videoclipe de "Life goes on", a ser lançado junto com "BE".

— Com este videoclipe, eu queria capturar um visual sincero e realista, e o filmei com alegria — afirmou Jungkook em uma live transmitida no canal do grupo no YouTube, Bangtan TV.