Confira ex-presidentes da Câmara e do Senado que tentaram recondução ao cargo ou novo mandato

O Globo
·1 minuto de leitura

RIO - Impossibilitados de serem reconduzidos após decisão do STF, os presdientes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP), traçam estratégias distintas para seus respectivos futuros políticos após a passagem dos cargos, em fevereiro de 2021.

A possibilidade de buscar um novo mandato no futuro é uma possibilidade. Veja abaixo a lista com nomes que conseguiram esse feito:

Eunício Oliveira

Mesmo ocupando a presidência do Senado, e com duas vagas em disputa pelo Ceará, Eunício não conseguiu se reeleger senador nas eleições de 2018. Alvo da Lava-Jato no período em que ficou no comando do Congresso, ele foi superado nas urnas por Cid Gomes (PDT) e Eduardo Girão (PROS).

Renan Calheiros

Após renunciar à presidência do Senado em 2007, em meio a denúncias de corrupção, retornou ao cargo entre 2013 e 2017. Voltou a disputar a cadeira em 2019, mas Alcolumbre se elegeu. Embora seja cotado ao governo de Alagoas, desde que se elegeu senador, em 1994, nunca disputou outro cargo.

Arlindo Chinaglia

Presidente da Câmara entre 2007 e 2009, o petista já se reelegeu deputado federal duas vezes desde então. Em 2010, teve sua maior votação em São Paulo, com 210 mil votos.

Em 2015, quando disputou novamente o comando da Câmara, foi derrotado por Eduardo Cunha (MDB-RJ).