Confira sete curiosidades polêmicas sobre a vida de Marilyn Monroe

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Personalidade icônica de Hollywood e símbolo sexual das décadas de 1950 e 1960, Marilyn Monroe voltou a ser assunto depois da divulgação dos trailers de "Blonde", filme biográfico que trará Ana de Armas na pele da atriz e modelo norte-americana. Para ficar por dentro da história do longa, que será lançado no próximo dia 23 de setembro, veja a seguir sete curiosidades polêmicas sobre a vida e trajetória da musa até sua morte, em 1962.

1. Vários nomes artísticos

Em sua certidão de nascimento consta o nome Norma Jeane Mortenson, mas a atriz foi batizada como Norma Jeane Baker. Antes de ser conhecida como Marilyn Monroe, a atriz aderiu a vários outros nomes artísticos. O primeiro escolhido por ela foi Jeane Adair, mas alguns hotéis já a registraram como Zelda Zonk e Faye Miller. Como modelo, alternava entre Jean Norman e Mona Monroe. Ela só mudou legalmente para Marilyn Monroe em março de 1956, quando já era famosa.

2. Primeira capa da Playboy

Marilyn Monroe foi a primeira mulher a estampar uma capa da Playboy. No entanto, não houve uma autorização formal da atriz para a publicação das fotos, que foram feitas pelo fotógrafo Tom Kelley em 1949 para um calendário. À época, Hugh Hefner comprou o direito dos registros por 500 dólares para divulgar na primeira edição da revista masculina, lançada em dezembro de 1953. Apesar disso, Marilyn admitiu que as fotos e o sucesso da publicação foram importantes para a sua carreira.

Apesar do sucesso com a capa, Hefner nunca chegou a conhecer Marilyn pessoalmente e, quando morreu, aos 91 anos, em 2017, foi enterrado ao lado dela. Isso porque, bem antes de sua morte, comprou a cripta ao lado da de Marilyn por 75 mil dólares.

3. Abortos

Marilyn teria feito pelo menos 12 abortos com menos de 30 anos, de acordo com a biografia intitulada Marilyn, escrita por Norman Mailer e lançada em 1973.

4. Sextape

Uma fita de 15 minutos na qual Marilyn aparecia fazendo sexo oral em um homem não identificado foi vendida por um milhão e meio de dólares, em 2008. O comprador foi um empresário cuja identidade também não foi revelada. O motivo da aquisição foi impedir que o conteúdo fosse disseminado na internet e prejudicasse a já polêmica imagem de Monroe.

5. Suicídio ou assassinato?

O laudo da morte da atriz apontou para um "possível suicídio", mas apenas as amostras de seu fígado foram analisadas na autópsia. Quando Thomas Noguchi, um dos legistas, tentou analisar outros órgãos, foi dito que estes teriam sido destruídos. Amigos próximos de Marilyn suspeitavam que a tivessem assassinado. O ex-procurador geral dos Estados Unidos Robert Kennedy, o presidente dos Estados Unidos John Kennedy — duas autoridades com quem Marilyn já mantivera um caso —, o mafioso Sam Giancana, do FBI; e seu psiquiatra, Ralph Greenso, estiveram na lista de suspeitos.

6. Parabéns pra você

A sensualidade deu o tom da lendária canção de parabéns apresentada por Marilyn no aniversário do presidente John F. Kennedy, dando margem para que os tabloides passassem a especular sobre um possível caso entre os dois. De acordo com a cunhada da atriz, ela havia se atrasado para o compromisso e correu para entrar no palco.

7. Funeral

Marilyn foi enterrada no Pierce Brothers Westwood Village Memorial Park and Mortuary, na Califórnia. Velada com o caixão aberto, a atriz usava um vestido verde claro do estilista italiano Emilio Pucci. Além disso, uma peruca loira platinada foi colocada para cobrir a cabeça parcialmente raspada em razão da autópsia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos