Conflito na Ucrânia faz disparar número de deslocados no mundo

Pela primeira vez na história, ultrapassou-se o número de 100 milhões de deslocados, um valor que aumentou devido aos 14 milhões de pessoas que fugiram da guerra na Ucrânia, anunciou a Organização das Nações Unidas esta semana.

Segundo Ramesh Rajasingham, diretor de Coordenação no Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU (OCHA), a guerra na Ucrânia e outros conflitos empurraram onúmero de pessoas forçadas a fugir de conflitos, violência, violações dos direitos humanos e perseguição para mais de 100 milhões, pela primeira vez.

No início da guerra na Ucrânia, que entrou esta semana no quarto mês, muitos ucranianos aguardavam no posto fronteiriço de Medyka para chegar à Polónia. Hoje, a situação é diferente. Boa parte, quer regressar ao país, apesar dos riscos que possam correr.

Alina, uma refugiada ucraniana, salientou o facto do povo ucraniano não estar seguro em nenhuma cidade da Ucrânia.

"Ficar em segurança é uma questão de sorte"

Esta semana, o príncipe Carlos visitou um centro de refugiados em Bucareste, na Roménia, onde conversou com mães e crianças ucranianas. O herdeiro do trono britânico classificou a guerra na Ucrânia como um verdadeiro "pesadelo".

De salientar que a Roménia já acolheu mais de 972 mil refugiados desde o início da invasão russa à Ucrânia, de acordo com a Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos