Confrontos entre forças de ordem e rebeldes deixam 35 mortos no Burundi

Forças de segurança do Burundi

Os confrontos entre as forças de ordem do Burundi e um grande número de rebeldes na terça-feira deixaram ao menos 35 mortos, entre eles um soldado, segundo um novo balanço fornecido por uma fonte militar.

Até o meio-dia desta quarta-feira, haviam sido contabilizados 34 corpos de rebeldes e um de soldado, disse à AFP sob condição de anonimato um general do exército, acrescentando que um policial ficou ferido.

No entanto, habitantes e um funcionário local afirmam que ao menos cinco soldados perderam a vida nestes confrontos que se prolongaram ao longo de toda terça-feira.

Um balanço anterior oferecido na terça-feira falava de 14 rebeldes mortos.

Este grupo armado não identificado entrou no Burundi procedente da vizinha República Democrática do Congo (RDC).

Os confrontos são um novo sinal das tensões na região dos Grandes Lagos, a seis meses das eleições presidenciais no Burundi previstas para junho.

Desde o início do ano, esta zona foi palco de vários incidentes com o envolvimento de rebeldes do Burundi procedentes da RDC.

A história do Burundi é marcada por massacres entre a maioria hutu e a minoria tutsi. Entre 1993 e 2006 o país viveu uma sangrenta guerra civil.