Confrontos entre manifestantes 'antifascistas' e policiais em Paris

Policiais patrulham as ruas de Nantes em 23 de abril de 2017

Cerca de 300 manifestantes, ditos "antifascistas", entraram em confronto com a polícia neste domingo à noite (23) em Paris, deixando dois feridos, após o primeiro turno da eleição presidencial.

As forças de segurança enfrentaram os manifestantes, posicionados na praça da Bastilha. Os jovens, alguns com toucas ninja, lançaram garrafas e bombas contra os agentes. Três pessoas foram presas, segundo a polícia.

De acordo com os bombeiros, um rapaz sofreu traumatismo facial, enquanto uma jovem teve ferimentos no rosto e nos pescoço. Seu caso é de "urgência relativa".

Com o microfone em mãos, um organizador pediu que ao grupo se manifestasse "contra Marine [Le Pen] e contra [Emmanuel] Macron".

Os manifestantes atendiam a um chamado dos movimentos "antifascistas", que pretendiam organizar uma "noite das barricadas". As forças de segurança impediram a circulação até esta emblemática praça, situada no leste da capital francesa.

"Viemos protestar contra a farsa que esta eleição representa", declarou um ativista à AFP, pedindo para não ser identificado.

"Todos os principais candidatos, Macron, Fillon, Le Pen, estão lá apenas para perpetuar o reino da oligarquia que confisca o poder e rouba as riquezas do povo. Eles não têm qualquer legitimidade. Existe, portanto, uma grave crise de representatividade na França", completou.

Cinco carros foram queimados no 10º Distrito da capital, segundo a polícia.