Confusão na vacinação em cidades da Região Metropolitana e no interior

Geraldo Ribeiro e Marcos Nunes
·4 minuto de leitura
Foto: Brenno Carvalho / Agência O Globo

A primeira fase da vacinação da CoronaVac ainda não terminou no Estado do Rio de Janeiro, mas a Secretaria estadual de Saúde tem previsão que a segunda parte das doses, prometidas para todos os 92 municípios, seja enviada na primeira semana de fevereiro. Enquanto isso, sobra confusão para todos os lados. Até esta segunda-feira, boa parte das cidades anda não havia fechado o número de pessoas vacinadas até a última sexta-feira.

Já, em Japeri, na Baixada Fluminense , onde não há instituições de longa permanência para a terceira idade , foi suspensa a vacinação de idosos acima de 75 anos, que era feita em domicílio, por quatro equipes volantes. O motivo foi uma recomendação da Secretaria estadual de Saúde que pediu prioridade na imunização de profissionais de saúde atuantes na linha de frente de combate à doença.

Guapimirim, também na Baixada Fluminense, é outra cidade que não vacinou idosos. Após receber 1.200 doses da vacina chinesa, o município priorizou vacinar profissionais e funcionários da limpeza das unidades de saúde, já que a exemplo de Japeri, também não possui instituições de longa permanência.

Seropédica, na Baixada, disse já ter concluído a vacinação dos idosos abrigados, mas não soube informar quantos teriam sido vacinados.

Em Teresópolis, na Região Serrana, mesmo sem totalização da aplicação das 4.700 doses da CoronaVac , além das 1.820 que chegaram nesta segunda feira, fabricadas pela Oxford/AstraZeneca, já se pensa em ampliação da campanha de imunização.

Segundo o município, nesta primeira fase, equipes volantes têm percorrido unidades de saúde, hospitais e instituições de longa permanência para vacinar profissionais de saúde e idosos abrigados. No entanto, a Prefeitura de Teresópolis frisou que, a partir do momento que receber um lote com um número maior de doses, tem um planejamento de montar pontos de vacinação, na cidade e na Zona Rural, no sistema drive-thru .


Abaixo, confira como será a vacinação em alguns municípios do Estado do Rio de Janeiro. Em todas as cidades, as pessoas que forem imunizadas precisarão apresentar documento de identificação, CPF ou cartão do SUS, antes de ser vacinadas


São Gonçalo - Segue as recomendações do Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde. Mesmo com a nova remessa de vacinas, os grupos prioritários permanecem os mesmos e incluem: pessoas com 60 anos ou mais abrigadas em instituições e seus funcionários; pessoas maiores de 18 anos com deficiência abrigadas em instituições e seus funcionários e trabalhadores da saúde. O município recebeu 10.210 doses

Itaboraí - Recebeu 2.080 doses fabricadas pela Oxford e já deu início a imunização com a nova vacina. Como já finalizou a vacinação dos idosos, incluiu no grupo de prioridades para serem vacinados os profissionais que trabalham em unidades básicas de saúde e postos de saúde, atuando na linha de frente de combate à doença


Belford Roxo - As vacinas (Oxford/Astrazeneca) serão aplicadas, conforme determina o protocolo do Ministério da Saúde, inicialmente em profissionais da rede municipal de Saúde, idosos que vivem em instituições de longa permanência, e pacientes de residências terapêuticas. O município recebeu 3.950 doses.

São João de Meriti - O plano de vacinação no município segue de acordo com as regras que já estão determinadas. Serão vacinados profissionais da Saúde na linha de frente no combate à covid-19 (rede pública), todos os profissionais da saúde, incluindo rede pública e os da linha de frente de combate à covid da rede particular. Pessoas com deficiência a partir de 18 anos em instituições permanentes. Vale dizer que os idosos acima de 60 anos, que vivem em asilos e os cuidadores deles, já foram vacinados na última sexta-feira (22).

Niterói - O município recebeu 7.070 doses da vacina AstraZeneca. A previsão é que as vacinas sejam aplicadas a partir da próxima quarta-feira (27) e todo o quantitativo será usado como primeira dose.O público-alvo será de profissionais de saúde, idosos que moram em Instituições de longa permanência, maiores de 18 com necessidades especiais e institucionalizadas. A vacinação será feita nas unidades de saúde e através de equipes volantes que irão às instituições.
Até a última sexta-feira (22) foram aplicadas 4.850 doses das 11.620 recebidas da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan.

Mangaratiba - A vacinação é itinerante. Equipes percorrem unidades de saúde para imunizar os profissionais que atuam na linha de frente de combate à Covid-19, durante os seus respectivos plantões. Um total de 28 idosos acamados, acima de 75 anos, também deverá ser vacinado em visita domiciliar.