Congressistas americanos pedem ação do Google em confusão sobre clínicas de aborto

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Um grupo de 21 congressistas americanos, incluindo o democrata Bernie Sanders, enviou uma carta a Sundar Pichai, presidente da Alphabet, controladora do Google, pedindo providências sobre uma suposta confusão que o buscador da empresa tem provocado nas pesquisas de internautas interessados em informação sobre aborto.

O pedido se baseia em um estudo sobre como as buscas do Google se comportam nos estados onde há leis que querem proibir o aborto.

A pesquisa mostra que, nesses locais, 11% dos resultados para as buscas "clínica de aborto perto de mim" e "pílula de aborto" levam para endereços eletrônicos geridos, na verdade, por organizações antiaborto.

O problema é ainda maior no Google Maps, no qual 37% desse tipo de busca direciona para organizações antiaborto como se elas fossem clínicas locais de aborto.

Os políticos que assinam a carta dizem que o Google não deveria exibir esse tipo de site para usuários que estejam procurando informações contrárias, ou recomendam, ao menos, inserir uma indicação do que se trata de fato.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos