Congressistas pedem que Biden pressione Bolsonaro a respeitar eleições

Trinta e nove congressistas democratas enviaram nesta sexta-feira uma carta ao presidente americano, Joe Biden, pedindo ao mesmo que "deixe claro" ao colega brasileiro, Jair Bolsonaro, que o Brasil ficará isolado "se houver tentativas de subverter o processo eleitoral" em outubro.

“Pedimos que tome medidas adicionais para deixar inequivocamente claro para Bolsonaro, seu governo e as forças de segurança que o Brasil se encontrará isolado dos Estados Unidos e da comunidade internacional de democracias se houver tentativas de subverter o processo eleitoral do país”, diz a carta.

Bolsonaro, que está perdendo nas pesquisas para o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, questionou o sistema de votação brasileiro e disse que teme uma fraude eleitoral.

Os 31 membros da Câmara dos Representantes e oito senadores também pediram a Biden que se assegure "de que o governo brasileiro entenda que tais esforços de Bolsonaro terão consequências graves, incluindo uma revisão do status do Brasil como parceiro global da Otan e aliado importante extra-Otan". E que ele também perderia "o apoio dos Estados Unidos para a adesão do Brasil à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE)" e "a futura cooperação bilateral em defesa e segurança".

Os congressistas mencionam na carta a invasão ao Capitólio por apoiadores do então presidente americano, Donald Trump, para tentar evitar que o Congresso confirmasse a derrota eleitoral do mesmo contra o democrata Joe Biden.

"Tendo experimentado pessoalmente os horrores da insurreição de 6 de janeiro de 2021, sabemos muito bem as possíveis consequências quando os demagogos promovem desinformação sobre a legitimidade e integridade dos processos eleitorais, atacam publicamente as autoridades eleitorais independentes e incitam seus apoiadores a apoiar suas afirmações sem fundamento", ressalta a carta.

Bolsonaro foi um aliado de Trump, a quem admira. Os congressistas estimam que “a retórica imprudente e perigosa do presidente Bolsonaro sobre fraude eleitoral gera temores sérios de que possa impedir uma transferência pacífica de poder se ele perder” as próximas eleições presidenciais, as mais polarizadas em décadas.

Congressistas americanos apresentaram nesta semana uma resolução que pede ao governo brasileiro para garantir que as eleições "sejam realizadas de forma livre, justa, confiável, transparente e pacífica".

erl/gm/lb