Congresso promulga PEC dos Benefícios às 18h desta quinta-feira

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Prédio do Congresso Nacional em Brasília
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Reuters) - O Congresso Nacional vai promulgar às 18h desta quinta-feira a chamada PEC dos Benefícios com a provável presença do presidente Jair Bolsonaro (PL), que conta com a medida como um instrumento que pode ajudar em sua tentativa de reeleição.

Aprovada na Câmara na quarta-feira, a Proposta de Emenda à Constituição, também chamada de "PEC kamikaze" e "PEC da reeleição" por críticos, amplia em 200 reais o Auxílio Emergencial, que passa a 600 reais e dobra, o valor ofertado pelo Auxílio Gás.

Com um impacto fiscal estimado de 41,25 bilhões de reais, a PEC cria também, a partir da instituição do estado de emergência, um auxílio de 1 mil reais mensais destinado a transportadores autônomos de carga, apelidado de "voucher-caminhoneiro". Além disso, a proposta prevê um benefício mensal voltado a taxistas --até o limite orçamentário de 2 bilhões de reais.

Bolsonaro, que foi ao Maranhão nesta quinta, deverá participar da sessão de promulgação. Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição, a PEC dos Benefícios é promulgada pelo próprio Congresso e não sancionada pelo presidente, como ocorre com os projetos de lei.

Na sessão do Congresso desta quinta, também será promulgada a PEC da Enfermagem, que define que uma lei federal instituirá pisos salariais nacionais para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e parteiras.

(Redação Brasília)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos