Congresso quer barrar atuação da Buser e outros apps de viagens rodoviárias

Buser. Foto: Divulgação / Buser
PL dificulta atuação das empresas

(Divulgação / Buser)

  • Projeto de Lei dificulta a atuação de apps de viagens rodoviárias fretadas

  • Texto prevê a proibição da venda de bilhetes individuais e a intermediação da venda de passagens

  • Previsão é de que o Congresso vote hoje (15) na medida

O Congresso Nacional deve votar nesta quarta-feira (15) um projeto de lei que dificulta a atuação de aplicativos de viagens rodoviárias fretadas, como a Buser.

Leia também:

O texto do PL 3 819/20 proíbe tanto a intermediação da venda de passagens pelas plataformas quanto a venda de bilhetes individuais para viagens fretadas. A Buser, por exemplo, conecta passageiros que desejam ir para o mesmo destino com empresas de fretamento executivo. O modelo seria comprometido com a aprovação da medida.

Por volta das 7h, donos de empresas de ônibus deram início a uma paralização em frente ao Congresso para pressionar os parlamentarem a votarem contra o PL. A expectativa é de que se reúnam pelo menos 500 ônibus. As informações são da Veja.

Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente do Senado, é um dos principais alvos dos manifestantes. O motivo está relacionado ao fato de que sua família é dona da Viação Real e Santa Rita, empresas de transporte que operam no Paraná e em Minas Gerais.