Conheça o coletivo de fotógrafas que faz os registros de maternidade de famosos como Nathalia Dill e Jayme Matarazzo

Lívia Breves
·2 minuto de leitura

O que as cenas dos nascimentos dos bebês de Marcelo Adnet, Nathalia Dill, Jayme Matarazzo e Marcos Veras têm em comum — além dos nenéns fofíssimos dos quatro? O crédito das fotos. Em todas elas está lá, Babuska Fotografia.

A onipresença do nome tem um motivo: a empresa criada por Mari Merlim e Lis Sayuri, em 2018, em Florianópolis, teve um boom no último ano e virou a queridinha dos ensaios de maternidade de quem curte uma proposta mais natural, minimalista e casual. Sem falar na conexão íntima que fotógrafa e mãe precisam selar para estarem próximas em momentos tão particulares como o parto, a primeira mamada e o puerpério. Afeto, discrição e cumplicidade são características fundamentais nesse encontro.

“Sabe aquela foto que, do nada, você pega no celular e se vê dando uma risada? Que traz uma sensação gostosa de que aquele momento valeu a pena? A gente buscar criar esse tipo de memória. Essa sensação. Então, tudo é feito de uma forma muito leve, sem muita construção de pose ou grande produção. Bastante humano”, conta Mari.

O crescimento da empresa aconteceu organicamente. Quando perceberam, Mari e Lis passaram a se desdobrar para estar em várias cidades na mesma semana, depois virar noites para editar os registros e planilhar orçamentos. Resolveram, então, acalmar a rotina e reunir uma equipe que partilha do mesmo olhar. “Adorávamos viajar, mas, quando passamos a ter a agenda sempre cheia, percebemos que a Babuska estava se tornando maior do que poderíamos dar conta”, conta Lis. Hoje são 21 profissionais, entre edição, vendas, administrativo, marketing, expedição e, é claro, fotografia.

Para crescer sem perder o DNA da marca, há um processo seletivo cuidadoso, que vai bem além do portfólio. “Precisa ter, principalmente, sinergia com a nossa cultura. Tem que amar fazer parte do mundo da maternidade, mesmo não sendo mãe. É fundamental entender os desafios reais, as dores físicas e emocionais do puerpério. É necessário ter um olhar respeitoso pela mulher e suas decisões enquanto mãe”, conta Mari.

Que venham mais cliques lindos e reais da maternidade.