Conheça os novos secretários da pasta de Cultura de Roberto Alvim

Secretário Especial da Cultura Roberto Alvim

RIO — O governo Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira mudanças de comando em algumas das principais secretarias da área cultural do governo, escolhidos pelo Secretário Especial da Cultura Roberto Alvim. Nove mudanças de cargo foram publicadas no Diário Oficial, entre elas na Secretaria do Audiovisual, na Fundação Palmares e na Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura (órgão responsável pela aplicação da Lei Rouanet).

Abaixo, um resumo do currículo dos novos secretários.

Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura (Sefic)


Camilo Calandreli é professor, músico e produtor artístico. Atuou como solista em montagens de ópera e concertos sacros com grandes orquestras brasileiras. Formado em Música pela ECA – USP, é pós-graduado em Administração Pública Cultural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRG). Idealizou e produziu três edições do Simpósio Nacional Conservador de Ribeirão Preto (SP). Para Camilo, “é preciso descentralizar o acesso aos bens culturais”, e esse será seu grande desafio. “É uma honra servir ao meu país e estou pronto para contribuir com o projeto do secretário Roberto Alvim e do nosso presidente, Jair Bolsonaro”.

Secretaria do Audiovisual

A consultora em comércio exterior Katiane de Fátima Gouvêa é integrante da Cúpula Conservadora das Américas, organização de direita que tem entre seus líderes Eduardo Bolsonaro.

Em um texto assinado por ela no blog "Conexão Política", Katiane cobra o governo Bolsonaro de trazer mais nomes conservadores para área cultural em orgãos como a Ancine, pois "movimentos de direita possuem uma vasta gama de pessoas técnicas que prezam e respeitam a arte e cultura". Ela afirma ainda que "é chegada a hora de uma nova política pública de cultura".

Secretaria da Diversidade Cultural

Procurada pelo GLOBO, a nova Secretária de Diversidade Cultural, Janicia RibeiroSilva disse que estava "muito ocupada" com as preparações para sua ida a Brasília e não poderia dar entrevista para falar sobre seu currículo e sua ligação com a cultura. Mas ela confirmou ser "presidente vitalícia" de uma empresa batizada como Associação Cristã de Homens e Mulheres de Negócio, fundada em 1996. Janicia não informou, no entanto, o tipo de atividade econômica que exerce na empresa. O nome da secretária também aparece na sociedade da agência de viagens JS Publicidade Turismo e Viagens LTDA que, segundo ela, não está mais em atividade.

Secretaria da Economia Criativa


Reynaldo Campanatti Pereira é doutor na área econômica pela Universidade de São Paulo. Campanatti recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Academia Mundial de Educação de Lima, no Peru. Tem mais de 25 anos de sólida atuação na área acadêmica, tendo trabalhado como diretor-executivo, diretor acadêmico, conselheiro curador, coordenador de curso e professor em diferentes instituições de ensino superior, entre elas a Fundação Educacional do Município de Assis (SP), a Faculdade Estácio de Sá de Ourinhos (SP) e a Fundação GAMMON de Ensino (Paraguaçu Paulista). Seu grande desafio à frente da pasta é “garantir que a cultura seja geradora de emprego, renda, riqueza e inclusão social”.

Fundação Palmares

Novo presidente da Fundação Cultural Palmares, órgão responsável pela promoção da cultura afro-brasileira, o jornalista e militante de direita Sérgio Nascimento de Camargo já afirmou que no Brasil não existe "racismo real", que a escravidão foi "benéfica para os descendentes" e que o movimento negro precisa ser "extinto".

Camargo é um usuário frequente de redes sociais, onde defendeu o fim do feriado da Consciência Negra, criticou manifestações culturais ligadas à população negra e atacou diversas personalidades negras, do casal de atores Taís Araújo e Lázaro Ramos à ex-vereadora Marielle Franco. Abaixo, listamos esses e outros momentos em que Camargo se pronuciou contra valores defendidos pelo movimento negro.