Quem são os ricos que ganharam e perderam bilhões na pandemia; veja lista

·2 minuto de leitura
Facebook co-founder Eduardo Saverin speaks at the Tech in Asia Singapore 2016 conference in Singapore April 12, 2016. REUTERS/Edgar Su
Cofundador do Facebook, Eduardo Saverin é o brasileiro mais rico do mundo (Edgar Su/Reuters)
  • O conjunto de bilionários do país viu a fortuna aumentar 13,5% nos últimos quatro meses

  • As riquezas foram de US$ 223,2 milhões em março para US$ 253,5 em julho

  • Entretanto, enquanto alguns deles enriqueceram ainda mais, outros perderam bilhões

As pessoas mais ricas do país viram o patrimônio conjunto aumentar 13,5% nos últimos quatro meses, saindo de US$ 223,2 bilhões em março e indo para US$ 253,5 bilhões em julho, em meio à pandemia da covid-19. Enquanto uns tiveram aumento significativo das fortunas, outros viram sua riqueza despencar. As informações são da Forbes.

Leia também:

Veja na lista alguns exemplos da variação de patrimônio de bilionários brasileiros. 

Rubens Ometto Silveira Mello

Rubens Ometto Silveira Mello foi um dos ricos a ver a fortuna se multiplicar no período, indo de R$ 1,6 bilhão em março para US$ 9,3 bilhões em junho. Com isso, o fundador e sócio controlador do Grupo Cosan, com negócios nos segmentos de energia e logística, saltou da 1931ª posição do ranking mundial da Forbes para a 262ª.

Eduardo Saverin

A riqueza de Eduardo Saverin subiu de US$ 14,6 bilhões em março para US$ 19,5 bilhões na última segunda-feira (5), uma alta de 33%. Isso fez o cofundador do Facebook, que atualmente mora em Singapura, ultrapassar João Paulo Lemann e, assim, ele chegar à posição de brasileiro mais rico do mundo.

Andre Esteves, CEO Brazilian BTG Pactual bank attends a session at the annual meeting of the World Economic Forum (WEF) in Davos January 24, 2014.          REUTERS/Denis Balibouse (SWITZERLAND  - Tags: POLITICS BUSINESS HEADSHOT)
André Esteves, CEO do BTG Pactual, viu sua fortuna aumentar 86% (Denis Balibouse/Reuters)

Família Godoy Bueno

Na família Godoy Bueno, a situação foi de redução 53% do patrimônio. Fundadora da Amil e dona de 48% das ações da rede de saúde Dasa, Dulce Pugliese de Godoy Bueno, viu seu patrimônio cair de US$ 6 bilhões em março para US$ 2,8 bilhões na última segunda. Assim, ela já não é mais a 9ª colocada na lista dos mais ricos do Brasil, mas a 24ª.

Entre os filhos dela, a fortuna de Camilla de Godoy Bueno Grossi caiu de US$ 3,1 bilhões para US$ 1,4 bilhão, enquanto a de Pedro de Godoy Bueno foi de US$ 3 bilhões para US$ 1,3 bilhão. 

Jorge Neval Moll Filho

O crescimento do patrimônio de Jorge Neval Moll filho foi de 20,4% entre março e julho, indo de US$ 11,3 bilhões para US$ 13,6 bilhões. Assim, o cardiologista e fundador da Rede D’Or - uma das maiores redes de hospitais e laboratórios do país - já não está mais na quarta posição da lista de brasileiros mais ricos do mundo, mas na terceira. 

André Esteves

A fortuna de André Esteves, principal acionista do banco BTG Pactual, teve uma alta de 86% nos últimos quatro meses. Em março, sua riqueza era de US$ 4,5 bilhões, enquanto agora, em julho, ela é de US$ 8,4 bilhões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos