Conheça os melhores restaurantes em hotéis do Brasil

Restaurantes em hotéis são destaques de ranking que elegeu os melhores do país. Foto: Getty Creative.
Restaurantes em hotéis são destaques de ranking que elegeu os melhores do país. Foto: Getty Creative.
  • Lista elegeu os 100 melhores restaurantes do Brasil;

  • 8 destes restaurantes estão em hotéis;

  • A publicação consultou um júri formado por 60 renomados críticos e influenciadores da gastronomia.

A primeira edição da lista com os 100 melhores restaurantes do Brasil da revista Exame foi divulgada no mês de maio e elegeu os melhores estabelecimentos gastronômicos do país. A publicação consultou um júri formado por 60 renomados críticos e influenciadores da gastronomia para montar o ranking. Cada especialista destacou dez restaurantes, sem ordem de importância.

Os jurados levaram em consideração critérios como a resiliência dessas casas em meio a dois anos desafiadores, o uso de ingredientes de boa procedência e a criatividade utilizada na cozinha, além da experiência oferecida aos clientes. Entre os 100 melhores restaurantes, alguns destaques estão localizados dentro de hóteis. A partir disso, a Exame selecionou os melhores estabelecimentos que funcionam em luxuosos hotéis. Veja a seguir:

  1. Fasano

  2. Picchi

  3. Cipriani

  4. Tangará Jean-Georges

  5. Colheita Butique Sazonal

  6. Emiliano

  7. Fasano Salvador

  8. Gero Rio

Fasano

Faz três anos que o tradicional Fasano perdeu a única estrela Michelin. E, surpreendentemente, isso não deu origem a nenhuma crise que colocasse em risco as quatro décadas do ícone gastronômico – ou o chef italiano Luca Gozzani. Não faltam opções no cardápio: há três menus degustação, focados em peixes e frutos do mar; carnes; ou massas por 390 reais cada. Entre os pratos à la carte, há desde pappardelle com cogumelos porcini (250 reais) até costela de Wagyu para duas pessoas (495 reais). Já a carta varia do Chianti Fasano (taça a 58 reais) ao Chateau Cheval Blanc (garrafa a 21 mil reais).

Localização: Rua Vittorio Fasano, 88, Jardim Paulista, São Paulo.

Picchi

Não é porque se dedicou à gastronomia italiana que Pier Paolo Picchi – brasileiro, apesar do nome –, deixou de lado as inovações no cardápio. E não é difícil encontrar provas disso. Do tartar de cordeiro com ostra e maça verde (78 reais) ou linguado com camarão, palmito e uvas verdes (154 reais), lado a lado de receitas tradicionais, como spaghetti ao vôngole, pancetta e ouriço fresco (128 reais). Deu certo: o restaurante foi premiado com uma estrela Michelin. Para colocar à prova os sabores e toda a apresentação, há dois menus degustação: o Tradizione (435 reais) e o criativo Picchi (691 reais).

Localização: Rua Oscar Freire, 533, Jardins, São Paulo.

Cipriani

É de frente para a piscina do Copacabana Palace que o italiano Aniello Cassesse recebe os clientes do Cipriani – batizado em homenagem a um dos hotéis mais sofisticados de Veneza. Mas não pense que a localização é o único atrativo do restaurante: o cardápio, cheio de referências à terra natal do chef, que levou a primeira estrela Michelin em 2019. Existem apenas duas variações de menu degustação. É na opção autoral (410 reais) que surgem o carpaccio de wagyu com pinoli e o raviolini del plin com frango à cacciatora. Na tradicional (520 reais), até o cappon magro típico da Ligúria foi resgatado.

Localização: Avenida Atlântica, 1702, Copacabana, Rio de Janeiro.

Tangará Jean-Georges

Foi no luxuoso Palácio Tangará – considerado pelo mercado como o primeiro hotel com seis estrelas no Brasil, ainda que a administração recuse o título – que o famoso Jean-Georges Vongerichte abriu o inédito restaurante na América do Sul. E, ainda que a cozinha tenha relação próxima com técnicas francesas, a principal inspiração vem dos sabores exóticos e aromáticos do Oriente. Sob o comando de Filipe Rizzato o cardápio traz desde sushi crocante de salmão com chipotle, shoyo e mel (92 reais) até filé mignon com foie gras e batata gratin (240 reais). Já o menu de seis tempos custa 675 reais.

Rua Deputado Laércio Corte, 1501, Panamby, São Paulo.

Colheita Butique Sazonal

É no pequeno município gaúcho de Pinto Bandeira, a 17 km de Bento Gonçalves, que Giordano Tarso prepara o “Não Menu” – uma experiência praticamente às cegas, sem cardápio definido, que só traz ingredientes frescos. Entre as criações, já teve até o inusitado Surf & Turf de camarões com morcilla e pão com pastrami preparado pelo próprio cozinheiro. Pensado para funcionar em harmonia com a hospedaria, o cardápio tem opções de seis etapas (188 reais) e quatro etapas (129), na medida para hóspedes que se fartarem no café da manhã, ambos servidos no almoço de quinta a domingo.

Rua Sete de Setembro, 1471, Centro Histórico, Pinto Bandeira.

Emiliano

Poucos restaurantes têm o cardápio tão versátil quando o Emiliano: há opções para café da manhã; brunch; almoço; jantar; e até menu executivo durante a semana. E, ainda que a principal referência para a cozinha venha da culinária italiana, os pratos têm boa dose de inventividade e influências da cultura brasileira. Prova disso é que, entre as opções, há desde o pato com tucupi preto (155 reais) até o bife à parmegiana, reinventado com farinha de pão de queijo para empanar, e acompanhado com cará e couve kale (153 reais). Também existe menu degustação de seis etapas (350 reais).

Rua Oscar Freire, 384, Cerqueira César, São Paulo.

Fasano Salvador

Não é nenhuma novidade que o Fasano Salvador siga à risca as características que tornaram o grupo uma referência – o que é excelente. Além do menu degustação com quatro massas artesanais e as principais sobremesas da casa (231 reais), é possível escolher a opção dedicada às carnes (396 reais), com cinco etapas. No cardápio, o restaurante aposta pelas receitas tradicionais italianas, quase sem intervenções, como é o caso do carpaccio alla Fasano (96 reais) com alcaparras e pinole; o fettuccine al ragú bolognese (104 reais); ainda que haja licença para a moqueca e outros pratos típicos.

Praça Castro Alves, 5, Centro Histórico, Salvador.

Gero Rio

Na filial carioca do Gero – que ocupa o térreo do luxuoso hotel do grupo Fasano no Rio de Janeiro –, existe até opção de menu executivo no almoço (152 reais) com entrada, principal e sobremesa. Essa é a maior prova de descontração, na medida do possível, para o tradicional restaurante. Ainda assim, as receitas têm forte inspiração italiana e quase não sofrem intervenções da cozinha. Para quem não quiser repetir as escolhas, uma opção é optar pelos pratos de temporada, como o tagliolini ao cacau com cogumelo porcini e burrata (132 reais) ou o camarão com creme de grão de bico (84 reais).

Avenida Vieira Souto, 80, Ipanema, Rio de Janeiro.