Conheça os sobrenomes que podem indicar que você descende dos Vikings

Milhares de pessoas no Reino Unido podem ser descendentes dos Vikings – e principal forma de saber se você é um deles pode ser o seu sobrenome.

Ao contrário do mito popular, os Vikings não atacaram apenas a Grã-Bretanha. Na verdade, eles se estabeleceram em algumas áreas e os sinais de sua passagem ainda são visíveis nos sobrenomes das pessoas.

Em áreas como Shetland e Isle of Man, até um terço das pessoas têm ascendência Viking – cerca de 29.2% em Shetland, e 12.3% em Isle of Man.

Sobrenomes que terminam em “son” e “sen” são sinais óbvios de ascendência escandinava, mas outros sobrenomes, como Linklater, Flett, Scarth, Heddle, Mclvol, MacAulay, McLeod, Roger/s, Rogerson e Rendall, também podem ser indicadores confiáveis.

A Dra. Alexandra Sanmark, da University of the Highlands and Islands, disse: “Na Grã-Bretanha, os Vikings podem ser rastreados através de evidências arqueológicas, como enterros, topônimos, estudos de DNA e da influência escandinava na língua inglesa.

Shetland

“Os povos da era Viking não tinham nomes de família. Em vez disso, eles usavam o sistema patronímico, no qual as crianças recebiam os nomes dos pais ou, ocasionalmente, das mães”.

“Então, por exemplo, o primeiro nome do filho de Ivar também seria Ivar, com uma partícula final cujo significado seria “filho de Ivar”.

“As pessoas da era Viking frequentemente tinham uma alcunha descritiva. Por exemplo, havia dois Condes de Orkney. Um era conhecido como Sigurd o Forte e ou outro, Thorfill, o Quebra-Crânios”.

Rob Waugh

Yahoo News UK