Conmebol responde à carta da CBF sobre a expulsão de Dedé

Valinor Conteúdo
A absurda expulsão de Dedé aconteceu no jogo de ida contra os argentinos. O árbitro Eber Aquino entendeu que a disputa de bola com o goleiro Andrada havia sido uma agressão - Reprodução


Após envio da CBF de um ofício à Conmebol protestando sobre a expulsão equivocada do zagueiro Dedé, no jogo contra o Boca Juniors, pelas quartas de final da Libertadores, a entidade máxima do futebol sul-americano se manifestou e respondeu à carta da confederação brasileira.

Em nota assinada pelo presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, ele diz que há uma preocupação da entidade com a arbitragem também e os seus métodos nos jogos.

- A Conmebol compartilha da preocupação com a atuação da equipe de árbitros na partida mencionada e já tomou medidas a esse respeito, pois o seu compromisso é de melhorar a arbitragem sul-americana, dizia a nota.

A nota de Dominguez elogia a boa gestão da Confederação Brasileira de Futebol e seu futebol em particular, afirmando que a CBF goza de grande prestígio em todo o mundo e que é membro da família do futebol sul-americano.

Apesar do ofício ainda não há uma resolução de fato se a expulsão de Dedé será ou não revogada para ele ter condição de jogo contra o Boca, no dia 4 de outubro.