Conor McGregor nocauteia em 40 segundos, celebra recorde e provoca rivais

Empresário elogia ‘mistério’ de McGregor sobre próximo rival: “Brilhante”

Grande estrela da noite deste sábado (18), Conor McGregor reuniu algumas celebridades americanas – como Tom Brady, Tommy Chong e Matthew McConaughey – no ginásio T-Mobile Arena, em Las Vegas (EUA), para acompanharem o seu retorno ao octógono mais famoso do mundo. E como mestre de cerimônmia, o irlandês voltou a comprovar que sua fama não é por acaso.

Midiático, Conor adotou uma inédita postura respeitadora e calma ao longo da semana. E mesmo sem provocar o adversário ou se envolver em polêmicas, seu nome garantiu por si só um dos cards mais prestigiados tanto em número de público presente como em quantidade de veículos de imprensa na cobertura. E o resultado apenas alavancou ainda mais o alcance do irlandês.

Com o triunfo em meros 40 segundos diante do duro adversário, o irlandês provou que os 15 meses afastados das competições não tiraram seu brilho e talento.

“Eu fiz história esta noite, construí mais um novo recorde. Eu sou o primeiro lutador na história do UFC a nocautear no peso-pena, peso-leve e agora no peso-meio-médio. Estou muito orgulhoso disso.”, bradou, sob aplausos da torcida que lotava o ginásio. “Qualquer um desses idiotas podem vir aqui se quiserem”, finalizou para a plateia lotada de possíveis rivais como Kamaru Usman e Jorge Masvidal.

A luta

Sem se cumprimentarem após o gongo soar, os atletas partiram para a trocação franca nos primeiros segundos. Mias ágil, Conor acertou o primeiro soco e, do clinche, desferiu potentes golpes com o ombro, fazendo o nariz do ‘Cowboy’ sangrar. Na sequência, uma joelhada e um cruzado deixaram o americano de costas para a grade.

De lá, Cerrone tenou um chute alto, que foi defendido pelo oponente. Depois foi a vez de Conor tentar um chuite alto que balançou o Cowboy, abrindo caminho para o final. Golpes no ground and pound que obrigaram o árbitro a interromper a disputa.

Duelo monótono

Multicampeã de boxe e ex-campeã do UFC, Holly Holm vive a pior fase de sua carreira. Aos 38 anos, a americana, que havia perdido duas de suas últimas três lutas no octógono, encarou Raquel Pennington, atleta que ela mesma venceu em 2015, e protagonizou a luta mais entediante da noite – com direito a repetidas vaias da plateia.

Apesar de ser especialista na luta em pé, Holly optou por clinchar e levar para a grade em todos os rounds. Uma vez lá, a americana abusou do boxe na curta distância enquanto tentava quedas, que foram defendidas por Raquel. Desta forma, a disputa foi truncada e acabou decidida na opinião dos jurados, que valorizaram a pressão imposta pela ex-campeã junta à grade do que a contundência dos ataques de Pennington.

Acompanhe os resultados do UFC 246:

Conor McGregor nocauteou Donald Cerrone no 1º round;
Holly Holm venceu Raquel Pennington por decisão unânime;
Aleksei Oleinik finalizou Maurice Greene no 2º round;
Brian Kelleher finalizou Ode Osbourne no 1º round;
Carlos Diego Ferreira
finalizou Anthony Pettis no 2º round;
Roxanne Modafferi venceu Maycee Barber por decisão unânime;
Sodiq Yusuff venceu Andre Fili por decisão unânime;
Askar Askarov venceu Tim Elliott por decisão unânime;
Drew Dober nocauteou Nasrat Haqparast no 1º round;
Aleksa Camur venceu Justin Ledet por decisão unânime;
Sabina Mazo venceu JJ Aldrich por decisão dividida.