Consórcio suspende obras da Transbrasil alegando dívida da prefeitura

Renan Rodrigues
Transbrasil: obras devem levar ainda mais tempo para ficarem prontas

RIO — Prometido para a Olimpíada de 2016, o corredor Transbrasil deve demorar ainda mais para sair do papel. Após sucessivos atrasos, a última promessa feita pela prefeitura era de que a nova linha do BRT fosse concluída em novembro. Um mês depois, porém, a obra será novamente paralisada, desta vez sem prazo definido para ser retomada. Procurada, a concessionária ainda não se manifestou oficialmente, mas O GLOBO apurou que o futuro da obra está indefinido devido a uma dívida estimada em R$ 138 milhões que o município tem com o consórcio, formado pelas construtoras Odebrecht, Queiroz Galzão e OAS.

A reportagem apurou que os funcionários entrarão de férias coletivas a partir desta sexta-feira. Originalmente, seriam 15 dias, mas, devido à dívida, o período foi prorrogado para 30 dias. Atualmente, a obra emprega cerca de 1.300 funcionários, segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Construção Pesada do Rio.— Esse tempo da paralisação é para a prefeitura decidir o futuro da obra, se continua ou não. A direção do consórcio vai discutir com a prefeitura a situação — diz o presidente do sindicato, Nilson Duarte.O GLOBO procurou a prefeitura e aguarda retorno.