Conselheiros do Palmeiras pedem investigação no futebol feminino; entenda

Denúncia publicada pelo portal Dibradoras acusou Alberto Simão e Ricardo Belli e assédio moral e psicológico no Palmeiras.
Denúncia publicada pelo portal Dibradoras acusou Alberto Simão e Ricardo Belli e assédio moral e psicológico no Palmeiras. Foto: (Franklin Jacome/Getty Images)

Um grupo de conselheiros do Palmeiras, filiados ao movimento Ocupa Palestra, pediu a instauração de um comitê, composto por mulheres em sua maioria, para apurar as denúncias feitas pelo portal especializado em futebol feminino, Dibradoras, a respeito de assédio moral e psicológico e abuso de autoridade por parte de Alberto Simão, diretor de futebol feminino do clube e Ricardo Belli, técnico das Palestrinas.

No documento, publicado pelo Dibradoras na última quinta-feira, relatos anônimos de jogadoras que fazem parte do elenco atual do clube e outras que já passaram pelo alviverde dizem o seguinte sobre Simão: "O tempo que eu fiquei lá eu não desejo para ninguém”, “é um cara que não gosta de democracia”, “eu não renovaria, não tinha mentalidade para continuar”, “é um clube com nome muito forte, mas quem trabalha ali são pessoas sujas”, “ele simplesmente manipula tudo”, “estando ali dentro você aceita situações de manipulação, ele tem sempre resposta para tudo, mas tem um momento que você para de aceitar”.

Leia também:

Os conselheiros ainda pediram que o relatório final da investigação seja disponibilizado a todos os membros do Conselho Deliberativo, dizendo que: "é fundamental que nossa instituição seja capaz de oferecer à coletividade palmeirense uma resposta à altura da gravidade dos problemas apontados, ouvindo atletas, funcionários e ex-funcionários para apurar se há um ambiente seguro, de paz e tranquilidade, para que as profissionais do futebol feminino possam desenvolver o melhor trabalho possível e, com isso, almejar os melhores resultados desportivos que todos esperamos".

Em nota oficial, o Palmeiras saiu em defesa de seus dois funcionários denunciados, dizendo que tomará medidas judiciais contra o caso.

Confira a nota do Palmeiras contrariando a denúncia

"A Sociedade Esportiva Palmeiras repudia as acusações levianas, feitas em sua maioria por fontes anônimas, contra os profissionais do nosso time feminino de futebol, em especial o diretor Alberto Simão. O clube desenvolve um trabalho competente e sério com essa modalidade, como atestam as recentes conquistas da Conmebol Libertadores e do Campeonato Paulista, além da chegada de cinco novos patrocinadores ao longo da temporada de 2022. O Departamento de Futebol Feminino cumpre com rigor todos os seus compromissos, conta com colaboradores extremamente capacitados em diferentes áreas e, a cada ano, recebe mais investimentos com o intuito de proporcionar às atletas uma estrutura cada vez melhor. Críticas são bem-vindas e contribuem com o aprimoramento do projeto, contanto que não tenham o revanchismo como norte. Denúncias e insinuações sem fundamento contra a agremiação e seus dirigentes precisam ser provadas por quem as faz; do contrário, elas não passam de difamação. O Palmeiras e o diretor Alberto Simão tomarão todas as medidas judiciais cabíveis para salvaguardar a honra da instituição e de todos os profissionais injustamente atacados".