Conselho de ética da Câmara abre ação contra Eduardo Bolsonaro por deboche à tortura de Míriam Leitão

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BRASÍLIA – O Conselho de Ética da Câmara abriu um processo disciplinar contra o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP), filho do presidente da República, por uma publicação feita no mês passado no qual ele debochou da tortura sofrida pela jornalista Míriam Leitão, colunista do GLOBO, durante a ditadura militar.

Na época, o filho do presidente escreveu: “Ainda com pena da cobra”, numa referência a um dos métodos empregados pelos torturadores da jornalista.

As representações contra Eduardo foram apresentadas pelos partidos PCdoB, Rede, PSOL e PT. As siglas pedem a cassação do mandato de Eduardo.

Durante a sessão do Conselho desta quarta, o Parlamentar não compareceu. Ainda não foi escolhido o relator do caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos