Conselho confirma general Silva e Luna na presidência da Petrobras

NICOLA PAMPLONA
·4 minuto de leitura
*ARQUIVO* CABO FRIO, RJ, BRASIL, 26-09-2012 - Petrobras, Aeroporto internacional de Cabo Frio. (Foto: Daniel Marenco/Folhapress)
*ARQUIVO* CABO FRIO, RJ, BRASIL, 26-09-2012 - Petrobras, Aeroporto internacional de Cabo Frio. (Foto: Daniel Marenco/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O conselho de administração da Petrobras aprovou nesta sexta (16) a nomeação do general Joaquim Silva e Luna para presidir a companhia. Ele foi indicado em fevereiro pelo presidente Jair Bolsonaro para substituir Roberto Castello Branco.

Além de Silva e Luna, o conselho nomeou quatro novos diretores, em substituição aos executivos que decidiram deixar a empresa com Castello Branco. Pela primeira desde 2007, a empresa não terá mulheres em cargo de diretoria.

O novo presidente da Petrobras foi nomeado ao conselho de administração da companhia na segunda (12), mas dependia da aprovação do colegiado para assumir a presidência da companhia. Entre segunda e esta sexta, a empresa foi comandada de forma interina por um dos diretores da equipe de Castello Branco.

Na reunião, o conselheiro eleito Marcelo Gasparino renunciou ao cargo, como já havia anunciado, como parte de uma estratégia para tentar forçar a realização de nova eleição para o conselho — os minoritários tentam avançar sobre vagas da União no colegiado para limitar a possibilidade de ingerência política na empresa.

Em nota, a Petrobras diz entender, porém, que a convocação de nova assembleia para eleger o conselho só é obrigatória em caso de destitução e não de renúncia. Segundo a empresa, sua vaga poderá ser preenchida por substituto indicado pelo próprio conselho.

Para as vagas abertas a direção, foram nomeados apenas funcionários de carreira da Petrobras, escolhidos pelo general durante o processo de transição, que vem sendo realizado em reuniões presenciais na sede da companhia.

Silva e Luna escolheu Rodrigo Araújo Alves para a diretoria Financeira, Cláudio Mastella para a diretoria de Comercialização e Logística, Fernando Borges para a diretoria de Exploração e Produção e Jorge Rettershaussen para a diretoria de Desenvolvimento da Produção.

Da gestão Castello Branco, foram reconduzidos os diretores de Transformação Digital e Inovação, Nicolás Simone, de Relacionamento Institucional de Sustentabilidade, Roberto Ardenghy, e de Refino e Gás Natural, Rodrigo Silva.

Este último assumiu o cargo em janeiro de 2021, após a aposentadoria de Anelise Lara, primeira indicada pelo cargo por Castello Branco.

Após a reunião, a Petrobras divulgou longa carta de agradecimento aos executivos que deixam a companhia, dois deles próximos a Castello Branco desde a passagem do executivo pela mineradora Vale.

Sobre a ex-diretora Financeira, Andrea Almeida, o texto diz que "teve papel fundamental na desalavancagem da companhia, com a determinação da meta de dívida bruta de US$ 60 bilhões, gerenciamento de passivos, redução do custo da dívida e do contencioso".

Após a saída de Lara, Almeida era a última mulher remanescente na diretoria. O comunicado da Petrobras lembra que ela foi "grande patrocinadora do Plano de Equidade de Gênero participando ativamente do Programa de Mentoria para Liderança Feminina".

Desde novembro de 2007, quando Graça Foster se tornou a primeira mulher a ocupar um cargo de direção na empresa ao assumir a área de Gás e Energia, não houve uma diretoria formada exclusivamente por homens. ​

Desde que teve sua nomeação aprovada pelo conselho, Silva e Luna e sua equipe de transição vêm trabalhando de forma presencial, ao contrário de Castello Branco, que estava em home office desde o início da pandemia.

Segundo fontes, ele deixou o alto escalão da companhia à vontade para decidir de onde trabalhar até que a empresa decida se vai estender o período de home office, que está previsto para terminar em maio. Sua primeira reunião de diretoria deve ocorrer na semana que vem.

A adoção do home office e o elevado salário foram usados por Bolsonaro como justificativas para a demissão de Castello Branco, anunciada em fevereiro, em meio à escalada dos preços dos combustíveis do início do ano.

"Alguém sabe quanto ganha o presidente da Petrobras? R$ 50 mil por semana? É mais do que isso por semana", afirmou o presidente, três dias após anunciar a mudança. "E para ficar em casa, trabalhando de casa. No meu entender, não justifica."

A assembleia que aprovou a nomeação de Silva e Luna ao conselho foi precedida por uma disputa judicial com sindicatos e terminou com questionamentos de minoritários sobre a contagem dos votos depositados à distância por fundos estrangeiros.

Os sindicatos de trabalhadores da empresa tentaram suspender mudanças no plano de saúde e, consequentemente, o pagamento de dividendos aos acionistas pelo lucro de 2020, inflado pelas alterações no benefício.

Já os minoritários, que tentavam avançar sobre vagas do governo no conselho, dizem que o modelo de votação é distorcido e prometem nova ofensiva, com a renúncia do único representante eleito para forçar nova eleição.