Conselho de Ética da Alesp reprova processo contra Delegado Olim por machismo

Delegado Olim disse que Isa Penna teve
Delegado Olim disse que Isa Penna teve "sorte" ao ser alvo de importunação sexual (Foto: Reprodução)

Resumo da notícia

  • Conselho de Ética da Alesp vetou processo contra Delegado Olim por machismo

  • Deputado disse que Isa Penna teve "sorte" por ser alvo de importunação sexual por Fernando Cury

  • Na comissão, 4 deputados votaram a favor do processo e 6 contra

Nesta terça-feira (10), o Conselho de Ética da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) reprovou a abertura de um processo contra o deputado Delegado Olim (PP), acusado de discriminação de gênero contra a colega de casa Isa Penna (PCdoB).

A inadmissibilidade do processo foi voto de 6 membros do Conselho de Ética, enquanto 4 queriam o prosseguimento. Desta forma, a denúncia não irá para frente na Alesp. Entre as quatro pessoas que votaram pelo prosseguimento do processo, três eram mulheres: a presidente do Conselho de Ética, Maria Lúcia Amaray (PSDB), Erica Malunguinho (PSOL) e Marina Helou (Rede). Além delas, o deputado Ênio Tatto (PPT) também pediu que a representação contra Olim continuasse.

“Sem NENHUMA surpresa no mundo dos homens brancos e de terno da Alesp, a votação foi encerrada em 6 a 4 pela inadmissibilidade do processo”, afirmou a deputada Erica Malunguinho (PSOL), após a decisão.

Durante uma entrevista, o deputado Delegado Olim afirmou que, ao ser vítima de importunação sexual por Fernando Cury (União Brasil), Isa Penna teve sorte, porque garantiu a reeleição ao cargo.

As representações contra o deputado Delegado Olim foram protocoladas no fim do mês de abril. Uma delas foi feita por Renato Battista, ex-chefe de gabinete de Arthur do Val (União Brasil), que renunciou ao cargo após vazamento de áudios em que dizia que refugiadas ucranianas são “fáceis porque são pobres”. A própria Isa Penna também fez uma representação contra o colega. Os processos apresentados pediam a cassação de Olim.

O deputado Delegado Olim foi o relator do processo de cassação contra Arthur do Val na Alesp, também acusado de machismo.

Depois da repercussão ruim da entrevista, Olim minimizou as críticas. “O jeito que eu coloquei, que eu errei... de expressar, então ela está no direito dela e tudo bem... mais 5 minutos de fama, sem problema nenhum”, afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos