Conselho de medicina de PE cria escala de pontos para definir prioridade em UTI

JOÃO VALADARES

RECEFE, PE (FOLHAPRESS) - Diante da insuficiência de leitos de UTI em Pernambuco para pacientes com síndrome respiratória aguda grave, o Cremepe (Conselho Regional de Medicina de Pernambuco) editou recomendação técnica que define quem deve ser atendido prioritariamente.

De maneira geral, conforme o documento, deve ser escolhido aquele que tem mais chance de sobrevivência.

A recomendação publicada no site do Cremepe aponta para a utilização de uma escala de pontuação combinando algumas informações sobre a vitalidade, presença de comorbidades e critérios de fragilidade dos pacientes.

O documento, encaminhado para análise da SES-PE (Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco), não leva em conta a faixa etária dos doentes.

O vice-presidente da entidade, Maurício Matos, informou que se trata de uma estratégica para ganhar vidas e tirar o critério subjetivo do médico na hora de tomar uma decisão de suma importância.

Ele diz que, nestes casos, não se podem usar critérios subjetivos. "O que estamos propondo é a união de escores clínicos, que já existem e são utilizados no mundo."

Na escala sugerida pelo Cremepe, há quatro escores de pontuação, cada um indo de 0 a 4. A pontuação máxima é 12 pontos.

"O 12 é aquela situação irreversível. Não estamos apontando que não se deve fazer nada. Nós temos que ter uma visão macro dos pacientes que aguardam leitos priorizados não pelo médico e, sim, por um protocolo", diz Maurício Matos.

Ele explica que, quanto menor a pontuação, maior a chance de sobrevivência.

"A utilização do protocolo é importante para dar maior oportunidade para aqueles que têm maior chance de sobreviver. É uma estratégia para ganhar vidas e tirar do médico, que está sozinho no plantão, a pressão de escolher de forma isolada", explica.

O secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, disse que a contribuição do Cremepe é bastante importante e que isso deve ser tema de debate nacional a ser feito pelo Ministério da Saúde.

"É muito importante para o médico que o seu órgão orientador no campo bioético possa fazer orientações diante de uma situação de profundo estresse e desgaste psicológico", afirmou.

Longo declarou que, em momentos como este, deve existir um grau de priorização. "É importante sempre dizer que não queremos abandonar ninguém. O caminho é de garantir o alívio no sofrimento de todos. Esse é o papel do profissional", destacou.

Boletim divulgado nesta quarta-feira pela SES-PE registra 30 novos óbitos em Pernambuco e mais 470 casos do novo coronavírus. Com isso, o estado totaliza 538 mortes e 6.194 testes positivos para o novo coronavírus. É o terceiro em número de óbitos no país, depois de São Paulo e Rio de Janeiro, e o quarto em número de casos.

Informações da central de regulação de leitos de Pernambuco apontam que, nesta quarta-feira (29), há 186 pacientes em estado grave aguardando por uma vaga de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no estado.

A Folha de S.Paulo teve acesso ao painel de monitoramento de vagas, ferramenta utilizada pela SES-PE para fazer o controle de encaminhamento dos doentes com suspeita de infecção pelo coronavírus que lotam UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e emergências de hospitais públicos.

Às 9h18 desta quarta-feira (29), havia uma fila com 184 solicitações de UTI para adultos e 2 para crianças. Outras 116 pessoas aguardavam encaminhamento para leitos de enfermaria.