Conselho militar sudanês pede a manifestantes negociação 'sem condições'

(Arquivo) General Abdel Fattah al-Burhan

O chefe do Conselho de Transição Militar no poder no Sudão pediu aos manifestantes, nesta quarta-feira (19), que mantenham negociações "incondicionais".

As relações entre ambas as partes se deterioraram após a sangrenta dispersão, por parte das forças de segurança do governo, durante um protesto pacífico no início de junho.

Dirigindo-se à Aliança para a Liberdade e para a Mudança (ALC), que está na ponta de lança deste movimento de oposição, o general Abdel Fattah al-Burhan convidou "todas as forças políticas" a se sentarem à mesa de diálogo para travar conversas "sem condições".

As declarações de Al-Burhan foram dadas em um pronunciamento à televisão pública.

As negociações entre os militares que derrubaram Omar al-Bashir, que governou o Sudão com mão de ferro durante três décadas, e os protestos foram suspensos em 20 de maio, porque ambas as partes queriam se colocar à frente da instância que guia a transição.

"Convidamos os nossos irmãos de todas as forças políticas e da Aliança para a Liberdade e Mudança: venham negociar sem condições", declarou o general Burhan.

"A situação do país não permite ficar sem governo. Porque não houve golpe de Estado, venham", continuou.