Conselho de Segurança da ONU está preocupado com déficit de vacinação na África

·1 minuto de leitura
(Fevereiro) Enfermeira tem a temperatura medida antes de se vacinar contra a Covid na África do Sul

O Conselho de Segurança sublinhou nesta quarta-feira (19), em comunicado aprovado por unanimidade, a necessidade de aumentar a ajuda à África face à pandemia de covid-19, em particular no que se refere às vacinas, por considerar insuficiente a imunização deste continente.

"O Conselho de Segurança expressa a preocupação de que a África tenha recebido apenas 2% de todas as vacinas administradas globalmente e reitera a necessidade de permitir o acesso equitativo a diagnósticos, tratamentos, medicamentos e vacinas contra covid-19 seguras, eficazes e acessíveis para todos, incluindo os mais vulneráveis”, diz o texto aprovado durante uma sessão virtual sobre paz e segurança na África, organizada pela China.

Assim, o Conselho de Segurança “convida os países desenvolvidos e todos aqueles que o possam fazer a doar continuamente, mais e mais rapidamente, doses seguras e eficazes de vacinas aos países africanos que delas necessitem”, acrescentou.

“É necessário continuar apoiando os países africanos, especialmente os afetados pelo conflito, bem como as organizações regionais e sub-regionais, para que esses países possam se recuperar da pandemia e se reconstruírem melhor, a fim de criar uma situação mais justa, mais equitativa e condições inclusivas", concluiu o comunicado.

Na semana passada, o Centro Africano de Controle e Prevenção de Doenças, que depende da União Africana, esperava uma "abertura" para o abastecimento do continente com vacinas anticovid no início do terceiro trimestre.

prh/led/llu/am