Conselho de Segurança da ONU insiste que Haiti realize eleições em 2021

·1 minuto de leitura
O presidente do Haiti, Jovenel Moise

O Conselho de Segurança da ONU insistiu nesta quinta-feira (1º) na "urgente realização de eleições presidenciais e legislativas livres em 2021" no Haiti e voltou a condenar a violência que assola o país caribenho.

Em uma declaração unânime, o Conselho reafirma "sua profunda preocupação com a deterioração das condições políticas, de segurança e humanitárias no Haiti", exige que "os perpetradores de violações e abusos aos direitos humanos" sejam levados à justiça e condena a crescente violência das gangues.

Um referendo constitucional programado para abril foi inicialmente adiado para 27 de junho e depois para 26 de setembro devido à pandemia do coronavírus. Enquanto isso, as eleições locais e municipais foram adiadas até janeiro de 2022.

O primeiro turno das eleições presidenciais e legislativas estava previsto para 26 de setembro e o segundo, para 21 de novembro.

Com o apoio do presidente Jovenel Moise, ainda está sendo elaborado o texto da reforma constitucional que visa fortalecer o Poder Executivo.

Dois projetos propunham revogar o Senado e abrir a possibilidade de dois mandatos presidenciais consecutivos, mas eles foram rejeitados pela oposição e por organizações da sociedade civil.

A oposição denuncia que o mandato do chefe de Estado é ilegítimo, entretanto, considera impossível organizar uma votação dada a insegurança geral que reina na ilha.

Desde janeiro de 2020, Moise governa por decreto e sem freios ou contrapesos, devido à falta de eleições organizadas nos últimos anos no Haiti.

prh/cjc/yow/llu/ic

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos