Conselho de Segurança debaterá situação de Hong Kong na sexta-feira

O presidente chinês Xi Jinping vota em projeto de lei de segurança imposto a Hong Kong em sessão do Congresso Nacional do Povo, em Pequim, em 28 de maio de 2020. A proposta foi aprovada pelo parlamento e segundo seus críticos, ameaça a autonomia do território.

O Conselho de Segurança da ONU vai discutir na sexta-feira, a pedido dos Estados Unidos e do Reino Unido, uma controversa lei de segurança adotada pela China para Hong Kong, disseram fontes diplomáticas nesta quinta-feira (28).

A questão será debatida em uma videoconferência a portas fechadas, em um formato que permita a qualquer membro levantar uma variedade de questões e às quais a China não pode, em princípio, se opor, de acordo com as mesmas fontes.

Na quarta-feira, Pequim rejeitou uma reunião formal do Conselho de Segurança solicitada com urgência por Washington sobre o tema, alegando que Hong Kong era um "assunto interno" da China.

Em virtude dos novos procedimentos adotados durante a pandemia de COVID-19, as sessões oficiais do Conselho de Segurança só são possíveis com o consenso de seus 15 membros.

Em circunstâncias normais, cada membro do Conselho pode se opor a uma reunião se receber 9 dos 15 votos em uma votação procedimental.

Na manhã de quinta-feira, Reino Unido, Estados Unidos, Canadá e Austrália acusaram Pequim de violar suas obrigações internacionais depois que o Parlamento chinês aprovou uma disposição controversa sobre segurança em Hong Kong em resposta aos protestos no ano passado.