Conselho de Segurança da ONU elabora resolução contra o Boko Haram

Os diplomatas que integram o Conselho de Segurança da ONU, durante reunião anual, no dia 12 de março de 2015, em Adis Abeba, Etiópia

Os diplomatas que integram o Conselho de Segurança da ONU elaboram, nesta quinta-feira, o esboço de uma resolução para apoiar a força regional de luta contra o grupo fundamentalista nigeriano Boko Haram. De acordo com o texto, será dado todo o apoio financeiro e logístico necessário.

O Conselho também vai considerar possíveis sanções contra quem financia ou oferece qualquer tipo de apoio ao grupo jihadista nigeriano, que na semana passada jurou lealdade ao Estado Islâmico.

Pela primeira versão do texto, os 15 membros do Conselho respaldarão a decisão de estabelecer uma força regional, que durante um ano "criará uma área de segurança nas áreas afetadas pelas atividades do Boko Haram".

Atualmente, a força multinacional mobilizada na Bacia do Lago Chade (Chade, Níger, Nigéria, Camarões e Benin) é composta por 8.700 homens.

Mas os debates sobre esta força, na ONU, que deve enfrentar o Boko Haram, têm sido muito lentas. Os diplomatas assinalaram a grande resistência do governo da Nigéria, que tem recebido muitas críticas pelo fracasso na luta contra os extremistas, a poucas semanas das eleições, em 28 de março.

Desde 2009, só na Nigéria, a atuação do grupo fundamentalista, e por tabela sua repressão pelo exército nigeriano, já provocaram as mortes de mais de 13 mil pessoas e 1,5 milhão de refugiados.