Conselho de Segurança da ONU pede 'cessar-fogo duradouro' na Líbia

(Arquivo) O debate se prolongou por mais de três semanas e mostra as persistentes divisões da comunidade internacional quanto ao conflito líbio, apesar da unidade exposta durante a conferência em Berlim, no último 19 de janeiro

O Conselho de Segurança da ONU aprovou nesta quarta-feira (12), pela primeira vez desde que houve a retomada de conflitos na Líbia, em abril passado, uma resolução que pede um "cessar-fogo duradouro" após a frágil trégua naquele país desde janeiro.

O texto, redigido por representantes do Reino Unido, foi aprovado por 14 votos de 15, com a abstenção da Rússia.

O debate se prolongou por mais de três semanas e mostra as persistentes divisões da comunidade internacional quanto ao conflito líbio, apesar da unidade exposta durante a conferência em Berlim, no último 19 de janeiro.

Participaram da reunião os presidentes da Rússia e da Turquia, cujos países apoiam os dois partidos da oposição na Líbia.

A resolução "afirma a necessidade de um cessar-fogo duradouro na Líbia, o mais rápido possível e sem pré-condições".

Neste texto, Londres decidiu manter a manifestação da "preocupação (do Conselho) pela crescente participação de mercenários na Líbia".

A discussão desses termos causou um bloqueio nas negociações com a Rússia na semana passada, quando Moscou procurou substituir a palavra "mercenários" por "combatentes terroristas estrangeiros".