Conselho de segurança da ONU pede libertação de líder opositor no Mali

(Arquivo) O líder opositor malinês Soumaila Cissé

O Conselho de Segurança da ONU pediu nesta terça-feira a "rápida libertação" de Soumaila Cissé, líder da oposição no Mali, sequestrado no norte daquele país no último dia 25 de março.

Cissé, 70, foi capturado enquanto viajava pelo distrito eleitoral de Niafounke, região de Timbuktu, durante a campanha para as eleições legislativas do último dia 29.

Em comunicado, o Conselho também condenou o "ataque terrorista" de ontem contra as forças do governo, em que 25 pessoas morreram e seis ficaram feridas em Bamba, norte de Gao.

Grandes extensões do território do Mali ainda estão fora do controle do Estado, e o Exército enfrenta meses de ataques sangrentos por parte de grupos ligados à Al-Qaeda e ao Estado Islâmico, além de ter que lidar com a violência comunitária e o tráfico.

A declaração do Conselho de Segurança pede à ONU e ao governo que continuem o trabalho conjunto para prevenir a propagação do novo coronavírus por aquele país. Também assinala que a missão de manutenção da paz da ONU, Minusma, deve "continuar cumprindo seu mandato, apesar da pandemia".

A declaração repete os chamados anteriores do Conselho de Segurança por uma cooperação maior entre o governo e grupos armados que assinaram o acordo de paz de 2015.