Consumidor brasileiro deve voltar a gastar com luxo fora do país

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Cédulas de dólar, moeda oficial americana. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Cédulas de dólar, moeda oficial americana. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Na contramão de uma tendência mundial, os brasileiros que consomem itens de luxo querem aproveitar a retomada das viagens para gastar em grifes do exterior, enquanto reduzem as compras no mercado doméstico, segundo um levantamento da BCG (Boston Consulting Group).

Os consumidores devem diminuir em 2,6% a procura por produtos e experiências da categoria no Brasil nos próximos 12 meses, conforme o estudo. Já os gastos no exterior podem aumentar 4%.

Em grandes mercados de luxo do mundo, como Estados Unidos e China, a projeção é a de que as compras nas grifes locais subam 7,7% e 6%, respectivamente. Os consumidores globais ainda querem baixar, em média, 4,7% o investimento no exterior, segundo a consultoria.

A mudança de comportamento é motivada pela pandemia. Devido às restrições, os brasileiros realocaram seus gastos no mercado de luxo doméstico, em marcas nacionais e internacionais. Agora, com o retorno gradual das atividades, a tendência é voltar a gastar fora do país, diz a BCG.​

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos