Consumidores ignoram Covid-19 e lotam ruas de comércio popular em SP a poucos dias do Natal

Cleide Carvalho
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO — Os consumidores lotaram regiões de comércio popular em São Paulo, como a rua 25 de Março e o Largo da Concórdia, no Brás, neste sábado, último fim de semana antes do Natal. Apesar do crescente número de mortes por Covid-19 desde a primeira semana de novembro os fins de semana no comércio popular da cidade têm sido de lojas cheias e aglomeração nas principais ruas. Muita gente circula com a máscara no queixo ou sem ela, agravando o risco de contaminação.

Nesta sexta-feira, o estado de São Paulo registrou o menor índice de isolamento desde 16 de outubro passado, quando a contaminação pelo coronavírus estava ainda em baixa.

Dados da plataforma InLoco, que divulga o índice em todo o país, mostra uma taxa de isolamento de 33,8%. É a terceira pior do Brasil, melhor apenas do que os índices de Goiás (32,77%) e Tocantins (31,52%). Minas Gerais está praticamente no mesmo patamar de São Paulo, com índice de 33,9%. No Rio de Janeiro, ficou em 37,39%.

Os três melhores índices de isolamento para conter a disseminação do vírus estavam na Região Norte: 42,39% no Acre, 39,57% no Amazonas e 38,89% em Rondônia.

A Associação Comercial de São Paulo estima que as vendas de Natal devem ser melhores do que as do Natal de 2019, antes da pandemia. As compras estão sendo impulsionadas pelo pagamento do auxílio emergencial do governo, além do 13º salário.

Nos primeiros 15 dias deste mês, as vendas subiram 41,2% em relação à primeira quinzena de maio.