Coreia de Sul pode proibir consumo de carne de cachorro

·1 minuto de leitura
A dog is pictured in a cage at a dog meat farm in Wonju, South Korea, January 10, 2017.  REUTERS/Kim Hong-Ji
Cachorro em abrigo de resgate em Wonju, Coreia do Sul

Um hábito na Coreia do Sul pode estar com os dias contados. O presidente Moon Jae-in trabalha pela proibição do consumo de carne de cachorro no país, uma prática que vem se tornando constrangimento internacional para a nação asiática.

Leia também:

Leia também:

No país, mais de 1 milhão de cães são comidos anualmente, mas isso vem diminuindo, principalmente pela nova geração, que enxerga os animas como verdadeiros amigos, e não comida.

"Não chegou a hora de considerar prudentemente proibir o consumo de carne de cachorro?” Moon perguntou ao primeiro-ministro, Kim Boo-kyum, durante uma reunião semanal na segunda-feira, de acordo com o porta-voz presidencial. Moon é um conhecido amante de cachorros. Ele tem vários no complexo presidencial, inclusive um que resgatou das ruas após assumir o posto.

Os comentários de Moon foram feitos enquanto ele era informado sobre um plano para melhorar o sistema de cuidados para animais de estimação abandonados, disse sua porta-voz. 

A lei de proteção animal da Coreia do Sul tem como objetivo principal evitar o massacre cruel de cães e gatos, apesar de não proibir o consumo. Por enquanto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos