Contagem parcial põe Sinn Fein como partido mais votado nas eleições na Irlanda

Por Joe STENSON
Início da contagem de votos em Dublin, em 9 de fevereiro de 2020, após as eleições legislativas na Irlanda

O partido nacionalista Sinn Fein, ex-braço político do IRA, é o mais votado nas eleições legislativas da Irlanda, um país controlado historicamente pelas duas formações de centro direita, segundo resultados da primeira fase da apuração.

Devido ao complexo sistema de contagem de votos, a relação de forças só será conhecida quando a apuração tiver terminado, o que pode durar vários dias. Os trabalhos serão retomados na segunda-feira.

Os eleitores não votaram em uma lista determinada, mas elaboram a sua própria, classificando os candidatos por ordem de preferência.

Ao final da primeira rodada de contagem, iniciada na manhã de domingo, o Sinn Fein encabeça os resultados, com 24,5% dos votos, à frente dos dois grandes partidos de centro direita, o Fianna Fail, com 22,2%, e o Fine Gael, do premier em fim de mandato Leo Varadkar, com 20,9%, segundo a rádio e televisão pública RTE.

Resta saber como a aritmética eleitoral vai distribuir os 160 assentos de deputados no Dail, a Câmara baixa do Parlamento irlandês.

O Sinn Fein, que milita pela reunificação da província britânica da Irlanda do Norte com a República da Irlanda, apresentou apenas 42 candidatos, ou seja, duas vezes menos que os grandes partidos centristas.

"Quero que tenhamos um governo para o povo", disse a líder do Sinn Fein, Mary Lou McDonald, "um governo sem Finna Fail e Fine Gael". Ela foi reeleita no domingo e sem esperar os resultados definitivos, anunciou ter feito contato com outros partidos, especialmente os Verdes e os social-democratas.

A posição dos dirigentes dos grandes partidos centristas de "não falar conosco" é insustentável, declarou à imprensa no principal centro de apuração de Dublin, arredores da capital.

Tanto Fianna Fail quanto Fine Gael descartaram até agora formar uma coalizão com o Sinn Fein, devido a seus vínculos com o IRA, organização paramilitar oposta à presença britânica na Irlanda do Norte.

Leo Varadkar reiterou sua posição, enquanto o líder do Fianna Fail, Micheal Martin, pareceu relativizar a sua.

Os dois foram reeleitos no domingo, mas não na primeira rodada de contagem, diferentemente de Mary Lou McDonald.