Contando com Neymar, novo treinador do PSG tem como maior desafio ganhar a Liga dos Campeões

AP - Thomas Padilla

O PSG entrou definitivamente em uma nova era com a chegada do treinador Christophe Galtier. O francês, de 55 anos, foi apresentado oficialmente na última terça-feira (5) durante uma coletiva de imprensa no Parque dos Príncipes, onde vai comandar pelos próximos dois anos um time que passa por uma reformulação estrutural, mas também de mentalidade. O 31° treinador da história do clube tem como principal missão levar o PSG ao topo da Europa.

Christophe Galtier entrou de vez no radar da direção do Paris Saint-Germain desde que o português Luis Campos substituiu Leonardo como diretor esportivo. O brasileiro foi afastado da equipe assim que o atacante Kylian Mbappé renovou seu contrato com o PSG e se tornou a figura-chave do clube.

Galtier e Campos trabalharam juntos no Lille, quando o time do norte da França foi campeão francês na temporada 2020/2021, colocando um parêntese na hegemonia do time parisiense. O treinador substitui o argentino Mauricio Pochettino, que passou a ser vaiado sistematicamente pelos torcedores parisienses desde a eliminação do time nas oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa pelo Real Madrid, vencedor da competição.

Antes de Pochettino, muitos outros treinadores falharam na missão de levar o PSG ao topo do futebol europeu, uma obsessão desde que o Qatar assumiu o clube parisiense. Christophe Galtier chega com a missão clara e para isso tem tem o apoio do português Campos, conhecido por sua postura firme na gestão do elenco.

Galtier, que depois de ser campeão com o Lille foi treinador do Nice, é questionado sobre sua real capacidade de gerenciar uma equipe formada por estrelas internacionais como o brasileiro Neymar, o argentino Lionel Messi e Mbappé. Mas ele não parece se intimidar com o desafio e promete manter um diálogo permanente com os atletas.

“Obviamente, vou falar muito com todos os jogadores. Encontrei vestiários onde havia muitos, muitos, muitos egos também. E eu acho que administrar um grupo é um privilégio, ter um plantel deste nível com jogadores de classe mundial é um privilégio para um técnico. Penso que a primeira coisa é dialogar, compartilhar com eles, mas também impor", afirmou.

A imagem de um clube permissivo com os jogadores deve ficar no passado. "Não vou revolucionar o vestiário, vou observar, ouvir e sei que terei o apoio de todos e da diretoria para tomar as decisões que devo tomar a partir do momento em que um ou dois jogadores, e quem quer que seja o jogador, não se curvar ao projeto do clube. Não haverá concessão nesse aspecto”, garantiu.

Neymar nos planos

Durante sua primeira coletiva, Galtier foi questionado sobre suas intenções com o brasileiro Neymar. Desde a renovação de Mbappé com o PSG e após uma declaração do presidente do clube à imprensa parisiense de que haverá mais disciplina e rigor tanto dentro quando fora dos gramados, o futuro do camisa 10 tem sido motivo de muitas especulações.

As últimas semanas foram de rumores de que Neymar, que tem contrato com o PSG até 2027, poderia não mais se enquadrar no novo ambiente desejado no interior do clube. Mas Galtier enviou sinais de que pretende contar com o brasileiro no seu ataque.

“Neymar é um jogador de classe mundial. Ele é um dos melhores jogadores do mundo. Qual treinador não quer Neymar em seu plantel? Tenho uma ideia muito clara do que vou esperar do Neymar. Também quero ouvir o que ele vai dizer e suas expectativas. Mas é claro que eu quero que Neymar fique conosco. Porque quando você tem jogadores de classe mundial, é sempre melhor ter com você e não contra você”, declarou.

Galtier assinou por apenas dois anos, e sabe que chega com o apoio do presidente Nasser Al Kelaifi e amparado na gestão diária do clube ao lado do conselheiro português Campos, respeitado e conhecido pela gestão firme do elenco dos jogadores. Esse respaldo deve ajudar o técnico na hora de impor sua filosofia de trabalho, de acordo com o jornalista e comentarista do programa Rádio Foot Internacional, Dominique Séverac. Ele compara o perfil de Galtier ao do treinador do Liverpool, o alemão Jorgen Klopp, e o do Manchester City, o espanhol Pep Guardiola.

“Galtier é alguém que tem uma certa autoridade. Somente Guardiola e Klopp podem treinar vestiários com egos superdimensionados que em breve serão ultrapassados. Mas Galthier saberá como lidar com eles e os jogadores vão se adaptar a ele. O Paris Saint-Germain tem sido uma espécie de Clube Med há muito tempo, com cada um fazendo o que queria. Galtier será apenas a continuidade de Luis Campos, que é uma pessoa autoritária, que não faz distinção entre um jardineiro e uma estrela. O PSG vai descobrir principalmente o método de Luis Campos”, diz Séverac.

Treinos e jogos

Galtier começou esta semana os primeiros treinos com uma equipe que já anunciou sua primeira contratação, o meio campista português Vitinha. Outros nomes devem ainda circular enquanto o time pretende se desfazer de jogadores que não mais interessam ao novo projeto do clube, como o argentino Mauro Icardi, o alemão Draxler, entre outros.

Depois de um período de treinos no Camp des Loges, centro de treinamento da equipe nos arredores de Paris, o novo treinador do PSG testará sua nova equipe em amistosos no Japão, antes de enfrentar o Nantes pelo Troféu dos Campeões. O jogo entre o campeão francês e o vencedor da Copa da França será em Tel Aviv, no dia 31 de julho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos