Continuam buscas por atleta que desapareceu no mar ontem, no Rio de Janeiro

Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil

Equipes do Grupamento Marítimo de Salvamento (G-Mar) do Corpo de Bombeiros continuam as buscas pelo atleta Gérson Fernandes Neris, de 39 anos, que desapareceu no mar ontem (26) ao participar da Primeira Etapa do Rio Triathlon 2017, promovida pela Federação de Triathlon do Estado do Rio de Janeiro (Fterj).

Gérson entrou na área de largada da prova às 6h58, de acordo com um chip que cada atleta carrega preso ao corpo. Às 7h, foi dada a largada da competição, e o triatleta entrou no mar na altura da Pedra do Pontal, no Recreio dos Bandeirantes, junto com outros 294 competidores.

De acordo com o presidente da Fterj, Julio Alfaya, ao final da prova, a organização percebeu que apenas 293 atletas saíram da água, e as buscas por Gérson começaram em seguida.

Alfaya contou ainda que, às 7h03, foi dada a largada da prova feminina, com 305 participantes, e que nenhuma delas relatou ter percebido qualquer coisa estranha com os demais competidores que já estavam nadando.

A modalidade em que Gérson competia era a Sprint, com 750 metros de natação, 20 quilômetros de ciclismo e 5 de corrida. O mar estava calmo, sem ondas, e a água, clara. De acordo com o presidente da Fterj, Gérson era maratonista e, pela primeira vez, participava de uma prova de triathlon.

Alfaya disse que o atleta procurou um treinador, pois queria competir na modalidade Sprint e não tinha experiência em natação no mar. Gérson foi então aconselhado a se aprimorar mais na natação.

O presidente da Fterj acrescentou que a federação está dando todo apoio à família do atleta. Um boletim de ocorrência foi feito na delegacia que está acompanhando o caso.

As buscas por Gérson duraram até o início da noite de ontem (26) e foram retomadas às 7h da manhã de hoje com a ajuda de lanchas, jet skis e um drone.