Contração da atividade da zona do euro se aprofunda em janeiro com lockdowns, aponta PMI

Jonathan Cable
·1 minuto de leitura

Por Jonathan Cable

LONDRES (Reuters) - A contração econômica da zona do euro se aprofundou em janeiro uma vez que as novas restrições para conter a disseminação do coronavírus afetaram com força o dominante setor de serviços do bloco, mostrou nesta quarta-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

O PMI Composto final do IHS Markit para a zona do euro caiu a 47,8 de 49,1 em dezembro, embora tenha ficado acima da preliminar de 47,5. Leitura abaixo de 50 indica contração.

"A economia da zona do euro sofreu um começo difícil de 2021 já que os esforços para conter a disseminação da Covid-19 continuaram a afetar a atividade empresarial, especialmente no setor de serviços", disse Chris Williamson, economista-chefe do IHS Markit.

O PMI de serviços recuou a 45,4 de 46,4 em dezembro, mas acima da preliminar de 45,0. Na segunda-feira o PMI da indústria mostrou que o crescimento do setor permaneceu robusto no início do ano, mas a um ritmo mais fraco.

"O crescimento da indústria continuou a ajudar a compensar parte da fraqueza no setor de serviços, embora mesmo aqui as fábricas tenham registrado crescimento lento da produção em meio à demanda fraca e atrasos no fornecimento, ligados à pandemia", disse Williamson.

"Portanto uma contração do PIB parece provável no primeiro trimestre, embora sob as tendências atuais deva ser mais modesta em comparação com as quedas vistas no primeiro semestre de 2020."