Contra Bia Kicis, partidos negociam candidatura avulsa do PSL na disputa pela CCJ

Natália Portinari e Paulo Cappelli
·1 minuto de leitura
Cleia Viana/Câmara dos Deputado

BRASÍLIA — Após a repercussão negativa da possível indicação de Bia Kicis (PSL-DF) para a presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, líderes tentam costurar um acordo para manter a comissão com o PSL por meio de uma candidatura avulsa.

Assim, se quiser, o líder governista Vitor Hugo (PSL-GO) pode indicar Bia Kicis para o cargo, mas ela irá concorrer com outro nome do PSL em uma eleição interna na comissão. O principal cotado é Marcelo Freitas (PSL-MG). Com formação jurídica, Freitas já foi delegado da Polícia Federal.

A avaliação da cúpula do PSL é que não é preciso intervir para retirar a indicação, já que Bia será vencida no voto, por seu perfil extremista.