Contra o Goiás, Botafogo começa maratona 'bem-vinda' na temporada; entenda

Após a partida contra o Coritiba, Luís Castro fugiu do discurso rotineiro no futebol brasileiro de que o calendário inchado prejudica os times. Segundo o treinador, a sequência de jogos no meio e nos fins de semana pode ajudar a aumentar a competitividade da equipe e também para que as ideias que são passadas nos treinamentos sejam colocadas em prática nas partidas com mais frequência. Hoje, contra o Goiás, às 20h, o Botafogo começa uma maratona de sete jogos no mês de junho.

— Muitas vezes, aquilo que queremos ver implementado nas equipes acontece nos jogos. Quanto mais jogos tivermos, conseguimos isso mais rapidamente. O treino é bom para passarmos nossas ideias, mas os jogos são bons para aumentar nossa competitividade — afirmou o treinador.

Serão seis partidas pelo Campeonato Brasileiro (hoje e nos dias 09, 13, 16, 19 e 26) e o jogo de ida da Copa do Brasil — sorteio para definição dos adversários será amanhã — no dia 22 ou 23.

— O que eu vejo no final de cada temporada são as equipes que jogam Champions, Libertadores, Sul-Americana até o fim, que normalmente ganham. São as equipes que jogam muito. Então nos é benéfico ou maléfico as equipes jogarem no meio da semana? Aumenta ou diminui a competitividade? Para mim, que joguei nos últimos anos Champions e Liga Europa tendo jogos seguidos, digo que as equipes rendem mais quando jogam no meio da semana. E rendem mais porque a competitividade aumenta — concluiu Luís Castro.

A sequência de jogos pode ser útil também para que o treinador possa montar um time base, o que vem tendo dificuldade. Nos dez jogos que esteve a frente do Botafogo, o português não repetiu escalação em nenhum. Se antes o problema era só no meio campo, com Oyama sendo unanimidade e as outras duas posições dúvidas constantes, agora Castro também tem dor de cabeça no lado direito da equipe. Na frente, Diego Gonçalves não se firmou durante a ausência de Gustavo Sauer, que passou por cirurgia no tornozelo, e pode perder a posição. Na defesa, com Saravia em baixa, Castro pode optar por utilizar Daniel Borges e promover Hugo na lateral esquerda.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos