Contra variantes da Covid, governo quer reforçar vacinação na fronteira

·2 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 24-06-2021 - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fala com a imprensa ao sair do Ministério da Saúde. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 24-06-2021 - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fala com a imprensa ao sair do Ministério da Saúde. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta quarta-feira (14) que a pasta pretende reforçar o envio de doses de vacinas contra Covid a cidades que fazem fronteira com países vizinhos.

O objetivo é acelerar a campanha de vacinação nestes locais e reforçar a proteção diante do risco de entrada de novas variantes do coronavírus.

A medida foi citada pelo ministro durante uma audiência na Câmara dos Deputados, ao ser questionado sobre a descoberta de ao menos uma nova variante que teria sido trazida ao país com a Copa América.

"Essas variantes só foram detectadas por conta da Copa América e da estratégia de testagem. O que não impede que cidadãos e irmãos latino-americanos pelas fronteiras secas transitem e tragam variantes que não são detectadas, porque é impossível que todos sejam testados", disse o ministro.

"É por isso que aprovamos agora no PNI [Programa Nacional de Imunizações] o reforço de doses de vacinas para as cidades localizadas nas fronteiras."

O ministro não deu mais detalhes da iniciativa no encontro.

Segundo a secretária de enfrentamento à Covid, Rosana Leite de Melo, a previsão é que o envio das doses destinadas a esses municípios inicie ainda nesta semana e seja feito em duas remessas.

O objetivo é acelerar a vacinação de todos acima de 18 anos nestes locais.

"Uma das maneiras de interromper a transmissão é imunizar a todos. Vamos começar a imunizar todos os municípios de fronteira seca, porque estamos preocupados com as variantes", disse à reportagem.

Em uma primeira remessa, devem ser enviadas doses suficientes para 279 mil pessoas de municípios de fronteira que ficam em estados como Rondônia, Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso.

Uma nova remessa de doses deve ser enviada na próxima semana.

O número geral ainda será divulgado. Membros da pasta dizem que a maioria das cidades, porém, são de pequeno porte e já tinham parte das doses aplicadas, o que deve facilitar o processo. Em outros estados, como Mato Grosso do Sul, as doses já tinham sido ofertadas por iniciativa local em conjunto com pesquisas.

No Paraná, por exemplo, 45 mil doses da AstraZeneca serão enviadas para quatro cidades que ficam na fronteira com o Paraguai e a Argentina--Foz do Iguaçu, Guaíra, Santo Antônio do Sudoeste e Barracão, segundo informações do governo do estado. Outras 45 mil doses devem ser enviadas nos próximos dias.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos