Contrato entre UE e Pfizer mostra vacinas contra Covid a 15,5 euros por dose

·2 minuto de leitura

BRUXELAS (Reuters) - A União Europeia está pagando 15,5 euros por dose da vacina contra Covid-19 da Pfizer-BioNTech, de acordo com o primeiro contrato que o bloco assinou com as duas empresas e que foi vazado nesta quarta-feira ao jornal espanhol La Vanguardia.

O preço confirma o que a Reuters noticiou nos últimos meses. Grande parte da mídia relatou uma cifra mais baixa com base em um documento com preços parciais publicados brevemente no Twitter por um político belga que mais tarde apagou o tuíte.

O documento belga, que também incluiu preços de outras vacinas encomendadas pela UE, alimentou a teoria de que o bloco estava enfrentando atrasos nos suprimentos de vacina por ter pago muito pouco – apesar do contrato vazado da AstraZeneca em fevereiro que mostrou que o preço do remédio era mais alto do que aquele constante do documento belga.

Segundo o contrato vazado da Pfizer, a UE concordou em pagar em média 15,5 euros pelas primeiras 200 milhões de doses, e o mesmo por outras 100 milhões de doses opcionais, que encomendou dentro de um prazo estabelecido no contrato. Depois disto, teria pago 17,5 euros por dose.

Em janeiro, a UE assinou um segundo contrato de compra de outras 300 milhões de doses com a Pfizer-BioNTech que autoridades do bloco disseram manter o mesmo preço do primeiro contrato.

O contrato revelado ainda mostra que a UE deu à Pfizer e à BioNTech um pagamento adiantado de 700 milhões de euros em dezembro para garantir as primeiras 200 milhões de doses.

Agora o bloco está negociando um terceiro contrato para um total de 1,8 bilhão de doses com as duas farmacêuticas a 19,5 euros por dose que teria condições de entrega mais rígidas e a opção de a UE encomendar vacinas aprimoradas contra variantes do vírus.

(Por Francesco Guarascio em Bruxelas e Inti Landauro em Madri)