Controle russo sobre nordeste ucraniano colapsa após Kiev cortar linha de abastecimento

Por Max Hunder e Vitalii e Hnidyi

KIEV/HRAKOVE (Reuters) - Moscou abandonou neste sábado seu principal bastião no nordeste da Ucrânia, em um colapso repentino de uma das principais linhas de frente da guerra, após forças ucranianas ameaçarem cercar a área.

A rápida queda de Izium na província de Kharkiv é a pior derrota de Moscou desde que suas tropas foram expulsas da capital Kiev em março deste ano, e pode ser um ponto de virada decisivo na guerra que já dura seis meses, com milhares de soldados russos abandonando estoques de munição e equipamento enquanto fogem.

Segundo a agência de notícias estatal TASS, o Ministério da Defesa russo ordenou que as tropas deixassem a vizinhança para reforçar as operações em outros lugares em Donetsk. O chefe da administração da Rússia em áreas controladas em Kharkiv aconselhou a todos os moradores que se retirassem da província e fugissem para a Rússia para "salvar vidas", noticiou a TASS.

Autoridades ucranianas não chegaram a confirmar que haviam recapturado Izium, mas o chefe de gabinete do presidente Volodymyr Zelenskiy, Andriy Yermak, publicou uma foto de tropas em seus arredores. Mais cedo, ele tuítou um emoji de uvas. O nome da cidade significa "uva passa”.

O anúncio da retirada russa veio horas depois que as tropas ucranianas capturaram a cidade de Kupiansk, mais ao norte do país, o único centro ferroviário que abastece toda a linha de frente da Rússia no nordeste da Ucrânia. Isso deixou milhares de soldados russos sem suprimentos de forma abrupta em um trecho do front de guerra que tem visto umas das batalhas mais intensas do conflito.

(Tradução Redação Brasília, 55 11 5047-2695); REUTERS BC)