Convenção de Bolsonaro terá sertanejo, cabines para TikTok e exaltará família

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*Arquivo* BRASÍLIA, DF, 27.03.2022 - O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro, em encontro nacional do PL. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*Arquivo* BRASÍLIA, DF, 27.03.2022 - O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro, em encontro nacional do PL. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A convenção do PL para oficializar o presidente Jair Bolsonaro como candidato à reeleição está sendo preparada como uma mistura de Copa do Mundo, com as cores verde e amarelo e comício conservador, com destaque às mulheres, à família e à liberdade. O evento será domingo (24), no Rio de Janeiro.

A cerimônia, que deve durar algumas horas, contará ainda com apresentação de dupla sertaneja e cabines para que jovens gravem vídeos de TikTok.

Um dos slogans explorados no evento será "Pelo Bem do Brasil", mesmo nome da coligação da chapa de Bolsonaro. A frase tem como mote a tese de "luta do bem contra o mal", que o mandatário tenta imprimir à eleição deste ano.

Ela passou a ser usada no encontro nacional do partido, em março. "Não é luta da esquerda contra a direita, é do bem contra o mal", disse na ocasião.

Na cerimônia de domingo, estarão no palco candidatos cariocas, dirigentes do partido, como Valdemar Costa Neto, e todo o clã Bolsonaro. O general Braga Netto, ex-ministro da Defesa, também estará no palanque.

O presidente será o único a discursar, a princípio, e o texto ainda não está fechado. Segundo interlocutores, a intenção é que ele fale sobre liberdade e princípios tidos como conservadores.

Bolsonaro foi aconselhado a destacar o que seu governo fez pelas mulheres e evitar atacar urnas eletrônicas, como o fez nesta semana a embaixadores. Mas como ele atua de improviso, é impossível prever o que dirá no dia, de acordo com aliados.

Uma parte do seu entorno fica apreensiva quando o presidente atua no improviso, outra atribui sua popularidade à sua espontaneidade.

A primeira-dama, Michelle, considerada peça-chave pela campanha, foi convidada a discursar, mas ainda não confirmou se o fará, segundo relatos.

Evangélica e carismática, ela é vista como um bom cabo eleitoral do mandatário entre as mulheres, fatia do eleitorado em que ele mais precisa melhorar seu desempenho. Pesquisa do Datafolha de junho mostra que 61% deste segmento rejeita o presidente.

Todos os convidados foram instruídos a levarem seus cônjuges, suas famílias. A campanha quer dar destaque especial às mulheres no palco.

Outro eleitorado em que Bolsonaro precisa melhorar são os jovens, hoje mais propensos a votar no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A rejeição do mandatário entre esses eleitores é de 60%. Entre estudantes, 60%.

Assim, a campanha organizou cabines de TikTok pelo estádio do Maracanãzinho. Apoiadores poderão gravar vídeos curtos para a rede social com intuito de impulsionar o evento.

O jornal Folha de S.Paulo mostrou, no final de abril, que vídeos vinculados a Bolsonaro tinham audiência no TikTok 13 vezes superior aos conteúdos relacionados ao petista, segundo uma pesquisa de doutorado.

A rede social é ocupada, predominantemente, pelo público jovem. O levantamento mostrava que, somando as dez principais hashtags ligadas aos adversários eleitorais, os vídeos de Bolsonaro representaram 92% das visualizações contra 8% de Lula —em números totais, é o equivalente a 10,06 bilhões versus 778 milhões.

A expectativa de aliados do presidente é de lotação total do estádio, cerca de 11 mil pessoas. A movimentação de opositores de esgotar os ingressos e esvaziar o evento levou a campanha a fazer um pente fino e cancelar inscrições.

Segundo interlocutores, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) será acionado para apurar o episódio.

Ficará responsável pela apresentação do evento um locutor de rodeio, o mesmo que atuou no encontro nacional do partido, em março.

Desta vez, haverá ainda a apresentação da dupla sertaneja Mateus e Cristiano, que cantará o hino nacional e o jingle da campanha, "capitão do povo".

"É o capitão do povo que vai vencer de novo/Ele é de Deus, e pode confiar/Defende a família e não vai te enganar", diz estrofe da canção.

O evento do PL ocorre a menos de três meses da eleição. O chefe do Executivo está em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, atrás do ex-presidente Lula.

Levantamento do Datafolha do final de junho mostra o petista 19 pontos à frente de Bolsonaro, marcando 47% contra 28%, no primeiro turno.

A campanha começa, oficialmente, na segunda metade de agosto. No início do ano, a filiação do presidente já teve clima de comício, ainda que não tenha mencionado sua candidatura, por orientação jurídica.

Na ocasião, além de trazer a ideia de luta do bem contra o mal, em uma referência ao PT, também falou sobre liberdade e "jogar nas quatro linhas [da Constituição]".

O ato teve de ser reformulado para se adequar à legislação eleitoral, como mostrou a Folha de S.Paulo. Inicialmente, o convite era para o lançamento da pré-candidatura de Bolsonaro, mas não há previsão legal para isso, então fizeram um evento de filiação.

No evento do Maracanãzinho, a campanha deverá lançar o jingle que, desde o início do ano, fez com a dupla sertaneja —público com quem o presidente tem forte identificação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos