Convenção do PL contorna boicote e terá apenas discurso de Bolsonaro

Convenção do PL acontece neste domingo no Maracanãzinho (RJ). (Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)
Convenção do PL acontece neste domingo no Maracanãzinho (RJ). (Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)
  • Internautas promoveram retirada de ingressos para esvaziar evento

  • Convenção terá portões abertos até lotação

  • Partido foi ao TSE contra boicote

A convenção do Partido Liberal (PL) foi mantida para este domingo (24), mesmo com o boicote promovido nas redes sociais. O evento será o lançamento da pré-candidatura de Jair Bolsonaro à reeleição e acontece no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro.

Agora, a legenda protocolou uma representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o boicote. Para evitar novas ações, o partido decidiu que o evento terá portões abertos até a lotação máxima, estimada em dez mil pessoas.

Apenas o presidente irá discursar, por decisão do partido, para que não haja discordância entre outros convidados, ministros e parlamentares. A primeira-dama Michelle Bolsonaro também poderá falar, já que tem boa relação com o eleitorado evangélico.

Durante o evento, Bolsonaro deverá ficar sozinho em frente ao palco, enquanto outras autoridades ficam na parte de trás. A expectativa é que ele fique duas horas na convenção. Apoiadores avaliam realizar uma motociata para acompanhar sua chegada ao ginásio.

O evento contará com também com a apresentação da dupla sertaneja Mateus e Cristiano, responsáveis pelo jingle da campanha.

Boicote

O PL informou nesta quarta-feira (20) que cancelou quase 40 mil de 50 mil inscrições feitas para a convenção que irá confirmar a candidatura do presidente Jair Bolsonaro. Como o GLOBO mostrou, o partido fez uma triagem para evitar uma mobilização de opositores, que incentivaram a retirada de ingressos para esvaziar o evento.

Na manhã de terça-feira, opositores de Bolsonaro passaram a incentivar nas redes sociais a retirada de ingressos. A proposta era esgotar todos os convites, para que os partidários de fato do presidente não consigam ir na convenção, marcada para domingo. Uma estratégia semelhante foi realizada em um evento de campanha do então presidente dos Estados Unidos Donald Trump, em 2020.

Agora, a legenda protocolou uma representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o boicote.

Além disso, parlamentares estão instigando apoiadores a ficarem na frente do ginásio no dia, como resposta à chamada “sabotagem de esquerda”.

"Isso é uma agulha no palheiro, estão menosprezando a capacidade do Bolsonaro de mover as massas. É um tiro n'água, vai ter muito mais gente na convenção por causa disso. Até agradeço a propaganda de quem está fazendo isso [o boicote]", disse o líder do governo no Senado, Carlos Portinho (PL-RJ).

"Nem com todo o boicote que a esquerda tentou promover irá impedir que esse evento seja um marco na política nacional. O Maracanãzinho ficará pequeno e haverá mais gente fora do que dentro neste domingo", afirmou o deputado federal Otoni de Paula (MDB-RJ).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos