A convite de Biden, BTS discursa na Casa Branca contra crimes de ódio a asiáticos: 'Não é errado ser diferente'; vídeo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

No último dia do mês da herança dos ásio-americanos, havaianos nativos e povos das ilhas do Pacífico (AANHPI) nos EUA, o grupo sul-coreano BTS fez um discurso nesta terça-feira direto da Casa Branca, em Washington. Os sete integrantes (RM, Jin, Suga, J-Hope, Jimin, V e Jungkook) foram convidados pelo presidente americano, Joe Biden, para promover uma discussão sobre o aumento dos crimes de ódio contra asiáticos no país nos últimos anos. De acordo com o Centro para o Estudo do Ódio e do Extremismo no país, esses casos aumentaram mais de 300% em 2021, informou o portal "The Hill" na última semana, quando foi anunciada a participação do septeto neste evento.

Confira a tradução das declarações dos artistas, na ordem cronológica:

RM

Obrigado, Karine, por suas palavras gentis. Olá, nós somos BTS. É uma grande honra ser convidado hoje para a Casa Branca a fim de discutir questões importantes de combate aos crimes de ódios contra asiáticos, inclusão asiática e diversidade.

Jin

Hoje é o último dia do mês da herança AANHPI, nós nos reunimos à Casa Branca para nos colocar junto à comunidade AANHPI e para celebrar.

Jimin

Nós estamos devastados pelo recente aumento de crimes de ódio, incluindo crimes de ódio contra ásio-americanos. Para colocar um fim nisso e para apoiar a causa, nós gostaríamos de aproveitar essa oportunidade para expor nossa voz novamente.

J-Hope

Nós estamos aqui graças a nosso ARMY, nossos fãs, ao redor do mundo. Nós temos diferentes nacionalidades e culturas e usamos diferentes línguas. Nós somos sempre verdadeiramente gratos.

Jungkook

Nós ainda ficamos surpresos que a música criada por artistas sul-coreanos alcançam tantas pessoas ao redor do mundo, transcendendo barreiras linguísticas e culturais. Nós acreditamos que a música é sempre uma incrível e maravilhosa forma de unificar todas as coisas.

Suga

Não é errado ser diferente. Penso que a igualdade começa quando nos abrimos e abraçamos todas nossas diferenças.

V

Todos nós temos nossa própria história. Nós esperamos que hoje seja um passo dado à frente rumo ao respeito e compreensão de cada um como uma pessoa valiosa.

RM

Por fim, nós agradecemos ao presidente Biden e à Casa Branca por nos oferecer essa oportunidade importante de falar sobre questões importantes, nos lembrando sobre o que podemos fazer enquanto artistas. Mais uma vez, muito obrigado.

Na última semana, a Casa Branca anunciou a presença do BTS no evento pelo mês da herança dos povos AANHPI nos EUA. Em comunicado, a presidência americana lembrou que Biden "já havia falado sobre seu compromisso de combater a onda de crimes de ódio anti-asiáticos".

Em maio de 2021, em meio à Covid-19, foi sancionada a Lei de Crimes de Ódio "para fornecer recursos às autoridades para identificar, investigar e denunciar crimes de ódio e garantir que as informações sobre crimes de ódio são mais acessíveis às comunidades AA (ásio-americana) e NHPI (havaianos nativos e povos das ilhas do Pacífico)”, disse a Casa Branca.

"O presidente Biden e o BTS também discutirão a importância da diversidade e inclusão e o propósito do BTS como embaixador da juventude que espalha uma mensagem de esperança e positividade em todo o mundo", completou.

No início de 2021, BTS e BigHit Music renovaram seu compromisso com a campanha Love Myself (Amar a si mesmo, em tradução livre), criada em 2017, prometendo mais de US$ 1 milhão para a Unicef, bem como os rendimentos da venda de mercadorias e uma parte das vendas do álbum "Love Yourself". O projeto busca formas de acabar com a violência, o abuso e o bullying, por meio de mensagens positivas de amor próprio e autocuidado para promover a autoestima e o bem-estar entre crianças e jovens ao redor do mundo. Em 2018, o BTS discursou pela primeira vez diante de chefes de estado e líderes mundiais na Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova York. O grupo voltou a discursar em 2020, ainda que tenha ocorrido de forma remota devido à pandemia. Já em 2021, a participação foi presencial mais uma vez. BTS chamou atenção tanto com suas declarações quanto com uma performance de "Permission do dance" do salão da ONU, marcando o início da semana da 76ª Assembleia Geral.

Em setembro do último ano, BTS foi nomeado enviado especial para as gerações e cultura futuras da Coreia do Sul em cerimônia realizada na Casa Azul, onde ficam o escritório e a residência do chefe de Estado. O canal do YouTube da presidência divulgou imagens do momento em que os idols RM, Jin, Suga, J-Hope, Jimin, V e Jungkook receberam seus certificados diplomáticos pelas mãos do então presidente Moon Jae-in.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos