Cook mostrou receio por restrição à loja de aplicativos da Apple no Japão, diz Nikkei

(Reuters) - O presidente-executivo da Apple, Tim Cook, pediu ao primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, que considere proteger os usuários ao regulamentar a distribuição de aplicativos para smartphones, informou o Nikkei nesta sexta-feira citando fontes.

A Apple enfrentou maior escrutínio sobre as práticas de sua lojas de aplicativos, que incluem a cobrança de uma taxa de 30% sobre pagamentos e assinaturas e não permitem que os iPhones usem aplicativos de lojas de aplicativos de terceiros.

Cook pediu a Kishida para garantir que os regulamentos sobre a distribuição de aplicativos não prejudiquem a privacidade e a segurança do usuário, acrescentou o reportagem.

A Apple e o gabinete do primeiro-ministro japonês não responderam imediatamente aos pedidos de comentários da Reuters.

No início deste mês, a Apple disse que investiu mais de 100 bilhões de dólares em sua rede de fornecimento japonesa nos últimos cinco anos.

A receita do negócio de serviços da Apple vem crescendo em ritmo acelerado nos últimos anos e agora gira em torno de 19 bilhões de dólares por trimestre.

(Reportagem de Akash Sriram)