COP 26: Novo rascunho de acordo diminui pressão para que países abandonem uso de combustíveis fósseis

·2 min de leitura
Climate activists participate in a protest action in Glasgow on November 12, 2021, during the COP26 UN Climate Change Conference. - A draft statement of the COP26 summit Friday called on nations to ease their reliance on fossil fuels as talks entered their final hours without any sign of delivering the emissions cuts needed to limit global warming to 1.5C. (Photo by Ben STANSALL / AFP) (Photo by BEN STANSALL/AFP via Getty Images)
COP26, em Glasgow, durou duas semanas e acaba nesta sexta-feira (12) (Foto: BEN STANSALL/AFP via Getty Images)
  • COP26 divulgou novo rascunho de acordo entre países

  • Negociações para chegar à versão final devem se estender ao longo do fim de semana

  • Oficialmente, COP26, em Glasgow, termina nesta sexta-feira (12)

No último dia da COP26, a conferência do clima das Nações Unidas, foi divulgado um novo rascunho de acordo, a segunda versão do documento. O texto fala em metas mais ambiciosas para frear a mudança climática, mas sem tanta pressão, como na primeira versão.

Leia também:

A versão final está em negociação por representantes de cerca de 200 países, que estão em Glasgow, na Escócia, onde acontece a conferência. O documento mantém a pressão para que as nações ajam para arrefecer a mudança climática e faz uma diferenciação entre as responsabilidades de países ricos e países em desenvolvimento.

Texto mais 'leve' com combustíveis fósseis

Assim como no primeiro rascunho, o texto mantém uma menção inédita aos combustíveis fósseis, mas de forma menos incisiva que na versão anterior. A mudança está na inclusão da palavra “ineficientes”: antes, era sugerida a “supressão progressiva de energia produzida com carvão e dos subsídios ineficientes aos combustíveis fósseis”.

O segundo rascunho fala não só em mudança climática, mas também sobre respeitas povos indígenas e reduzir a diferença entre homens e mulheres. Um dos tópicos presentes no documento é: “reconhecer que a mudança climática é uma preocupação comum da humanidade e partidos deveriam, quando tomarem ação, respeitar, promover e considerar suas obrigações em relação aos direitos humanos: direito à saúde, direito dos povos indígenas, das comunidades locais, dos migrantes, das crianças, das pessoas com deficiência e das pessoas em situação em vulnerabilidade e o direito ao desenvolvimento, assim como à igualdade de gênero, empoderamento feminino e equidade intergeracional”.

A COP26 se encerra oficialmente nesta sexta-feira (12), mas, segundo a agência Reuters, líderes devem seguir negociando ao longo do fim de semana para chegar ao acordo final.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos